ARTIGO | O que é Inbound Marketing?

29 de Agosto de 2017

Inbound Marketing inclui qualquer tática de marketing que se baseia em ganhar o interesse das pessoas em vez de interrompê-las.

por Henrique Carvalho*

 

"Quando se consegue fazer as coisas comuns da vida 
de uma maneira fora do comum, 
dispõe-se da atenção do mundo."

George Carver

Diferenciar interrupção de atenção é bastante fácil: toda vez que você precisa parar o fluxo natural de uma pessoa que está navegando na internet, ouvindo um programa de rádio ou assistindo a um programa na TV para passar uma mensagem, você está atrapalhando e não ajudando.

O meio onde a interrupção acontece não importa. O Outbound Marketing, conhecido também como Marketing da Interrupção pode ser feito não só em mídias offline, mas também online.

Portanto, banners para todos os lados, anúncios em redes sociais, mala direta via email e outras táticas intrusivas, mesmo que feitas usando a internet, podem ser consideradas Outbound Marketing.

O Inbound Marketing chama atenção usando táticas que fazem parte desse fluxo de informação de forma orgânica, sem ser forçado, já que é o público que vai atrás da sua mensagem e não o contrário.

Os benefícios do Inbound Marketing são muitos, tais como:

Favorecer a escolha de uma marca para influenciar vendas no futuro;
Aumentar o reconhecimento de marca;
Engajar consumidores com a sua marca;
Colocar as necessidades dos clientes como prioridade;
Gerar leads qualificados gastando muito menos (quando comparado com as táticas de Outbound Marketing)

 

Por que você precisa saber mais sobre Inbound Marketing

Inbound Marketing é uma forma de pensar relativamente nova, baseada na ideia de compartilhamento e criação de um conteúdo de qualidade direcionado para um público-alvo, utilizando táticas de marketing.

Esta personalização age como um ímã que atrai potenciais leads e clientes quando eles estão à procura de produtos e/ou serviços.

O declínio do Outbound Marketing é uma resposta a uma mudança recente e fundamental no comportamento do consumidor.

O controle passou das mãos das empresas para a dos consumidores, dando às pessoas o poder de escolha não só na hora da compra, mas também sobre quais mensagens deseja receber ou não.

As pessoas não sentam-se passivamente na frente da TV e prestam atenção às propagandas exibidas no meio da programação a qual estão assistindo. Mesmo nesse tipo de situação, o espectador conta com o controle remoto para mudar de canal ou com o celular para se distrair enquanto espera.

Mesmo interrompendo o consumidor, você precisa chamar sua atenção e é justamente por isso que as estratégias de marketing tão eficientes do passado não trazem os mesmos resultados hoje.

Nesse cenário, táticas como SEO e PPC (Pay Per Click) com foco em responder as perguntas mais comuns dos usuários em mecanismos de busca funcionam tão bem. São informações que as pessoas não só querem ter acesso, como tomam a iniciativa de buscar as respostas.

E mais: cerca de 46% das pesquisas diárias feitas nos maiores buscadores, são para obter informações sobre produtos e/ou serviços, mostrando que o problema não está na falta de interesse do público, apenas na maneira intrusiva como produtos e serviços são divulgados.

Para ler a íntegra deste artigo acesse o Viver de Blog