MEMÓRIA ! Zé Borghi comenta pesquisa que cita expressões da publicidade

26 de Fevereiro de 2017

Pesquisa elaborada pelo Kantar Ibope Media divulga dados sobre as expressões da publicidade, a opinião e o perfil do público brasileiro sobre cada meio de comunicação

Post publicado originariamente no dia 29 de fevereiro de 2016 
 

Uma pesquisa realizada recentemente, cujo objetivo era entender os consumidores e a mídia brasileira, revela que as ações publicitárias são consideradas inspiradoras por boa parte dos brasileiros. José Borghi, diretor da agência Mullen Lowe, comenta que é possível perceber esse fato pelos bordões de comerciais que estão sempre sendo adotados pela cultura popular brasileira, tendo como alguns exemplos, o "Não é lá uma Brastemp", "Vai que..." e o "Bonita camisa, Fernandinho".

De acordo com as pessoas que responderam a pesquisa, 61% consideram que os anúncios publicitários que passam na televisão são bem interessantes e inclusive acham que elas acabam se tornando um tema constante em conversas do nosso cotidiano. Além disso, a pesquisa também divulgou estatísticas sobre as preferências e o tempo médio que a população brasileira passa assistindo televisão, informa o publicitário José Borghi, CEO da antiga Borghi Lowe, agora conhecida como Mullen Lowe.

A pesquisa identificou que os brasileiros permanecem, quase quatro horas e meia em frente a televisão todos os dias. Para 53% dos homens, a TV aberta contém os canais preferidos, enquanto que para 51% dos entrevistados do sexo feminino, a preferência é pela TV a cabo, sendo interessante ressaltar que o consumo de TV por assinatura aumentou mais de 60% nos últimos cinco anos. Já em relação as classes sociais, a audiência masculina nos canais abertos é composta em 47% pela classe C, e audiência feminina nos canais a cabo consiste em 57% das classes A e B.

José Borghi da Mullen Lowe comenta que o levantamento ainda perguntou aos entrevistados sobre o que eles pensavam em relação ao rádio, chegando a confirmação de que cerca de 44% da amostra da pesquisa faz uso do aparelho diariamente. 

Para 27% dos entrevistados que moram no Sul e Sudeste, o rádio é visto basicamente como um aparelho capaz de gerar entretenimento. Destes, 88% tem como principal interesse ouvir música, enquanto que para 49%, o rádio é uma das melhores formas de ficar sabendo sobre as notícias locais. Questionados sobre como possuem acesso a um rádio, 69% disseram que possuem um rádio de pilhas tradicional, 27% que possuem rádio no carro e 18% que escutam as estações de rádio pelo celular.

Em termos de credibilidade, 40% dos entrevistados disseram que o jornal é o meio mais confiável tanto em termos de notícias locais, esportivas e internacionais. Também de acordo com os dados da pesquisa, comenta José Borghi, da antiga Borghi Lowe, os jornais são objeto de maior interesse por parte homens, enquanto as mulheres demonstram uma clara preferência pelas revistas.

Sobre a internet, o Kantar Ibope Media ressaltou que o país está democratizando cada vez mais esse meio de comunicação, tendo em vista que o acesso a rede aumentou em mais de 30% apenas nos últimos cinco anos. Quanto ao gênero dos internautas, 53% deles são mulheres, enquanto os homens consistem em 47%.