2021: Cenários, Tendências, Insights | por Beto Barata, Cacto Publicidade

21 de Dezembro de 2020

Adeus ideia velha

 

Diante de todos os desafios impostos pela pandemia, da saúde à política, da economia ao ir e vir e consumir, nenhum dos segmentos passou ileso.

O CENP (Conselho Executivo das Normas-Padrão), na última edição de sua revista, publicou que os investimentos em mídia através de agências tiveram uma redução de 30% até o mês de setembro deste ano, quando comparado ao mesmo período no ano anterior. 

Mas muito antes da pandemia, muito antes de 2020, as agências de publicidade já choravam as incertezas de um mercado tão volátil. A revolução digital, a diversificação dos canais e a transformação dos comportamentos de consumo de conteúdo, os questionamentos do modelo de negócio e da forma de remuneração, a redução dos orçamentos, a escravidão das métricas, tantas e tantas coisas da vida real ameaçando aquela imagem pretensiosa e romântica, clichêzão Mad Men. Once upon a time in agência de publicidade.

O ano foi duro e a pandemia acelerou a autocrítica do mercado da comunicação. E isso foi bom. As redes sociais questionaram tudo e nos expuseram ao consumo de muito conteúdo - bom e ruim. E isso foi bom. O home office nos chamou para a reflexão dos nossos negócios. Black Mirror feelings. E isso foi bom. 

Não dá pra dizer que foi um ano bom. Mas utilizando da força da obviedade, vivemos um daqueles momentos mágicos da virada de jogo nas grandes adversidades. E isso é bom, muito bom.

Na Cacto Publicidade, deixamos o ano com a grande certeza de dever cumprido. A reorganização dos fluxos - tão difícil quanto trocar o pneu com o carro andando - os ajustes estruturais da agência e o fortalecimento das relações com os clientes, com os bons e melhores clientes, é o grande legado, o aprendizado. 

2020 foi um ano de criação. Ano que vem, a gente veicula essa ideia. 
E isso é bom, muito bom.

 

*Feliz ano novo, propaganda*.

O hiato do último ano proporcionou organização e mais maturidade na gestão dos negócios. Em 2021, as agências devem focar mais no que é a base do diferencial dos seus serviços: o trabalho intelectual, criativo, inteligente.

No geral e no regional, os serviços de comunicação - através da inteligência na produção de conteúdo, design e estratégias de posicionamento, nunca foi tão importante e crucial para os negócios. É clichê, mas por isso é verdade.  Acreditamos muito no retorno do brilho da ideia criativa, da consistência no discurso de marcas com relevância, propósito e, principalmente, na boa-e-velha-e-nova propaganda.

Trabalhos com mais ideias, mais produção de conteúdo inteligente, mais consistência da reprodução das campanhas nos meios, em detrimento a um 'post novo todo dia' na caça de métricas - muitas delas, cada vez mais, questionáveis. Negócios mais fortes a partir do desejo da construção de marcas com relevância e resultados.

É insight. É crença. É torcida. Principalmente, é o nosso desejo para um feliz ano novo na propaganda catarinense.

Um agradecimento especial ao mercado. Às agências, aos fornecedores, aos veículos e aos clientes que acreditam na força transformadora da comunicação. Um muito obrigado  ao Jaílson e ao Acontecendo Aqui, pelo espaço, sempre tão precioso, dedicado aos nossos assuntos. 

Notícias Relacionadas