Restaurantes devem mudar definitivamente a forma como atendem clientes

23 de Outubro de 2020

Essas mudanças que devem acontecer nos restaurantes estão ligadas com o modelo de trabalho e de atendimento aos clientes..

A pandemia do novo coronavírus começou no Brasil em março de 2020, mas ainda não deu sinais de ir embora. Enquanto as conversas sobre uma possível vacina vão aumentando, o fato é que as pessoas terão de lidar com a situação por bastante tempo ainda.

Afinal, de acordo com os principais especialistas em doenças desse tipo no mundo, mesmo que uma vacina fosse criada hoje e fosse possível vacinar todas as pessoas, ainda assim haveriam riscos com a porcentagem da população que não poderia tomar a vacina, com as possibilidades naturais dela não ser 100% eficaz e muito mais.

Portanto, é fato de que levaremos alguns anos até que o coronavírus seja algo apenas para os livros de História e não uma preocupação constante em nossas vidas. Portanto, é essencial se adaptar para lidar com essa situação e isso vale também para os restaurantes, que devem mudar a forma como atendem clientes. Afinal, os espaços alimentícios estão entre os de maior contágio pelo novo vírus no mundo inteiro.
Essas mudanças que devem acontecer nos restaurantes estão ligadas com o modelo de trabalho e de atendimento aos clientes. Afinal, esses são os principais pontos de contágio e que devem ser abordados mais urgentemente.

Um dos principais modelos de negócios que deverá se tornar mais popular agora é o sistema de delivery. Afinal, ele permite que os restaurantes continuem funcionando normalmente, mas sem o risco de contaminação dos clientes. Portanto, deverá se tornar um dos principais, se não o principal, meio de vendas de restaurantes no futuro próximo.

É claro que o delivery já era popular pré-Covid-19. Em alguns nichos do setor alimentício, como com as pizzarias, já era até mesmo a principal fonte de lucro. No entanto, para o setor no geral, o delivery representava apenas uma forma extra de ganhar dinheiro.

Desde o início da pandemia, no entanto, o segmento já aumentou em 103% o seu faturamento, em parte justamente por causa do crescimento de vendas em restaurantes e mais. Uma das explicações para esse aumento da importância do delivery está no fato de que mais pessoas estão usando o sistema. Veja o Rappi Rio de Janeiro, por exemplo. Antes da pandemia, o aplicativo era usado mais por jovens. Agora, ele é usado por pessoas de todas as idades e classes de renda, já que todos passaram a precisar dos apps.Além disso, os aplicativos de delivery também cresceram bastante por causa das novas funções que passaram a adotar. Por exemplo, se antigamente os apps do tipo só traziam pratos de restaurantes, desde a chegada do Rappi no Brasil foi possível trabalhar com supermercados, farmácias e todo tipo de negócio. Há até a possibilidade de comprar eletrônicos e mais.

Assim, é seguro afirmar que o sistema de delivery será uma mudança significativa no modelo de negócios de restaurantes do mundo todo, inclusive no Brasil. Hoje em dia, muitos negócios já estão vendendo o kit delivery de seus pratos. Por exemplo, uma hamburgueria vende o kit com o hambúrguer cru, o pão e os outros complementos, além das instruções para a sua produção. Então, o usuário faz o lanche em casa. Essa é uma maneira criativa de conseguir mais vendas que muitos negócios encontraram, especialmente por causa da pandemia.

Se o delivery aumenta de relevância e popularidade, o mesmo não pode ser dito de outros modelos de negócios para restaurantes, sendo o self-service o principal deles. Afinal, esse é um dos modelos de atendimento que mais oferece riscos aos clientes no momento.

Isso acontece porque, no self-service, o consumidor acaba por compartilhar talheres de serviço com todos os outros clientes. Além disso, existem outros métodos de compartilhamento por lá.

Na prática, isso significa que uma única pessoa contaminada pode infectar todo o restaurante, dependendo dos talheres que ela usar. Por exemplo, se pegar a colher de arroz para colocar o grão em seu prato, provavelmente vai contaminar todo o lugar porque todo mundo pega essa colher.

Dessa forma, o setor de self-service deverá reduzir muito o seu tamanho nos próximos meses e anos. Afinal, o risco de contaminação é grande demais para os clientes. Portanto, mesmo que os restaurantes não fechem as portas por conta própria ou mudem de modelo de negócios, os próprios consumidores provavelmente não vão querer comer por lá.

Mesmo restaurantes que não são no sistema self-service poderão ter problemas desse tipo, caso tenham itens compartilhados pelos clientes ou não adotem algumas medidas de segurança básica. 

Nesse caso, é essencial ter um afastamento das mesas no salão, bem como a presença de itens de segurança (álcool gel, por exemplo) para os usuários. Os funcionários do restaurante precisarão estar de máscara sempre, para própria segurança e dos demais, além de garantir a higienização de todas as mesas sempre que estiverem vazias.

Com esse tipo de mudanças, o setor de restaurantes deverá sobreviver sem grandes problemas essa pandemia. No entanto, quem não se adaptar terá problemas sérios no futuro próximo.

Notícias Relacionadas