Alright Media desmistifica custos e fraudes da Mídia Programática

02 de Agosto de 2018

Artigo por Adriano Terres apresenta dicas e cuidados essenciais sobre o tema

A Alright Media preparou um artigo abordando os bastidores da mídia programática e desmistificando custos e fraudes, desde CPM (custo por mil impressões) a preços baixos até robôs que simulam views e cliques. Escrito por Adriano Terres, 'secret agent' da Alright, o texto alerta que Campanhas sem brand safety podem chegar a 90% de impressões vistas por robôs.

O barato pode sair caro, e o custo barato pode ser uma fraude, gerada por um robô. Segundo Adriano, CPM com custo menor que R$ 5 deve ser desconfiado. Isso porque com R$ 5 o resultado final já é negativo, descontando os custos envolvidos na entrega (imposto, custo da plataforma, de operação, investimento em brand safety e dados para uso de segmentação). Uma campanha com custo tão baixo é inviável.

Para saber se está pagando por visualizações de robôs ou humanos, é necessário exigir viewability (no mínimo 50%) e verificação anti-fraude nas campanhas. "Só assim para garantir que você pagará por impressões visíveis e visualizações que sejam realmente de usuários humanos", destacou.

Para uma campanha com investimento bem usado e segura para alcançar bons resultados a empresa recomenda estratégias comopráticas de brand safety; métrica de viewability; frequência e recência (4 impressões por dia/usuário com intervalo de uma hora a cada impressão); bons dados para segmentação; pixel de segmento e conversão (negativando o usuário que converteu para não ficar reimpactando); audiência lookalike (construída por perfis parecidos aos que estão apresentando bom desempenho na sua campanha).

Saiba mais em alright.com.br/midia-programatica-dicas-e-cuidados

Notícias Relacionadas