Havan contrata haitiano que comoveu rede social com sua história

30 de Janeiro de 2018

Essondjy Clermeus só pedia uma oportunidade de trabalhar na Havan para sustentar sua família

Nosso país tem recebido milhares de imigrantes nos últimos anos, principalmente porque seus países sofreram com alguma tragédia. Vieram ao Brasil em busca de uma vida melhor. A realidade é que ao chegar aqui, a maioria não consegue ser contratado, sofrem muito preconceito e acabam passando fome e outras dificuldades. Não podemos virar os olhos para esse fato como se não existisse. 

Pensando nisso, o empresário Luciano Hang resolveu contratar um haitiano que chamou a sua atenção na página do Facebook, que estava pedindo uma oportunidade. Essondjy Clermeus, que assina como Mandela Castro do Thiago na rede social, foi admitido como conferente de logística na Havan de Videira, onde mora, e começará a trabalhar dia 1º de fevereiro.

Luciano Hang ficou sensibilizado ao ler a história de Essondji, que contou sua história no dia 22 de janeiro, expondo seu drama como imigrante no Brasil. Disse que tem uma filha de 3 anos e que há 4 anos não vê a mãe e os irmãos (o pai é falecido). A família vive no Haiti e depende de sua ajuda financeira. Essondjy pretende trazê-los ao Brasil, mas para isso precisa de um trabalho. Ele tem o Ensino Médio e conhecimento de vários idiomas: inglês, francês, espanhol, português e o creolo.

O empresário pediu à área de Recursos Humanos que avaliasse o cadastro do haitiano, que já estava em processo de seleção na empresa, mas não recebia resposta. Assim que recebeu a confirmação da contratação, no dia 23 de janeiro, Essondjy atualizou seu status no Facebook (“Começou um novo emprego em Havan Videira”) e voltou à página do empresário para agradecer: “Muito obrigado por tudo eu fui segundo pessoas que fui contratado hj muito obrigado gente especialmente Sr Luciano Hang Deus te abençoe (sic)”.

Hang afirmou estar muito satisfeito em poder atender um pedido tão especial. “O apelo desse rapaz me comoveu, porque ele representa a realidade do nosso País: as pessoas querem trabalhar e não têm oportunidades. Assim como ele temos 13 milhões à procura de emprego, querendo ser produtivos e viver com dignidade. Precisamos fortalecer a economia e as empresas. Contribuir para a geração de empregos e de riquezas, para podermos atender os apelos de brasileiros, haitianos e outros cidadãos que queiram trabalhar para não depender do assistencialismo que se instalou no País”.

Que este caso sirva de exemplo a muitas empresas e essa realidade seja modificada. 
 

Essondjy Clermeus deixa mensagem na página de empresário da Havan pedindo uma oportunidade de emprego para poder ajudar sua família