HOJE | Terceiro dia do Festival SGB. Por que a segurança digital precisa ser um assunto de todos

05 de Novembro de 2020

Em 2020 a quantidade de golpes digitais bateu recorde de vítimas

 

Começou ontem, 3 de novembro, e segue até o dia sete, o maior evento de dados e tecnologias para impacto social que discute temas essenciais da vida digital no pós-pandemia, como segurança de dados e LGPD. Confira a agenda aqui

O evento é gratuito e é preciso se inscrever pelo link sgb.org.br/festival para ter acesso às transmissões online.

No Brasil, a novidade da inclusão bancária em massa via o download do aplicativo para sacar o auxílio emergencial do governo, durante a pandemia do COVID-19, veio  acompanhada do aumento do número de fraudes cibernéticas. E pior: atingindo em grande parte um público já vulnerável; segundo a Federação Brasileira dos Bancos, neste período, o número de casos de fraude via phishing (por links maliciosos) aumentou 180%.

"Os golpes e fraudes já fazem parte do dia a dia do brasileiro. A chance é grande de você conhecer alguém próximo que já teve dor de cabeça por clicar em um link malicioso, sofreu fraude bancária ou teve uma rede social invadida, isso se você próprio não passou por essa experiência. Se os golpes e fraudes fazem parte do cotidiano de tanta gente, por que a preocupação com segurança e privacidade não?", questiona André Ferraz, CEO e fundador da Inloco, organização de biometria comportamental por localização que oferece soluções de redução de fricção e fraudes para transações financeiras. Ele estará na programação do Festival para discutir cuidados básicos, que devem estar ao alcance de todos.

A chegada de tecnologias como o Pix para transferência bancária automática indicam que as curvas de inovação levarão os usuários a utilizar serviços online cada vez mais e, com isso, ter protocolos diários de segurança digital é essencial. “E isso começa com o controle dos nossos dados, cuidados básicos de segurança e, inclusive, incluindo crianças e adolescentes nessa conversa”, explica Ferraz.

O maior evento de dados e tecnologias para impacto social no Brasil tem o tema "Seres humanos, futuro e o poder dos dados", e acontece com o apoio da Ambev, Engie,
Mercado Livre, Instituto Humanize, Inloco e com parceiros de mídia como a Folha de São Paulo e Rede Globo. Nomes como Luiza Trajano, Camila Achutti, Murilo Gun, Silvio Meira, Adriana Barbosa, Ailton Krenak estão na programação.

Conheça alguns dos palestrantes do Festival SGB:

 

Luiza Helena Trajano
Presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza e presidente do Grupo Mulheres do Brasil. Foi responsável pelo salto de inovação e crescimento que colocou o Magazine Luiza, entre as maiores varejistas do Brasil — hoje, possui mais de mil lojas em 18 estados e conta com mais de 30.000 colaboradores. 
Além disso, foi pioneira em vendas pela internet no Brasil, sendo considerada "A" empreendedora pela Endeavor Brasil. O seu lema é: “Primeiro faça o necessário, depois faça o possível e, de repente, você vai perceber que pode fazer o impossível”.
Em sua trajetória, vem recebendo centenas de reconhecimentos e premiações como empreendedora, empresária, mulher e líder: tem o 1o lugar, nos dois últimos anos, como líder de negócios com melhor reputação no Brasil, segundo a consultoria espanhola Merco, e também como a única executiva brasileira na lista global do WRC – World Retail Congress.

 

Murilo Gun
Murilo Gun é professor de criatividade e comediante aposentado. Sua carreira começou como um dos pioneiros da internet no Brasil, ganhou dois prêmios iBest como melhor site pessoal e tem dois livros publicados sobre internet.
Em 2014 foi selecionado entre 80 empreendedores do mundo para morar por 10 semanas no NASA Research Park, no Vale do Silício, estudando o futuro, inovação e criatividade na Singularity University.
Hoje, Murilo Gun faz palestras sobre criatividade, inovação e empreendedorismo no Brasil e ao redor do mundo, tendo palestrado 5 vezes no TEDx. Em 2015, fundou a Keep Learning School, que tem como missão erradicar todo o desperdício de potencial humano no mundo.

Silvio Meira
Silvio Meira é fundador e presidente do conselho de administração do Porto Digital. Professor titular aposentado do centro de informática da Universidade Federal do Pernambuco (UFPE), fundou [em 1996] e foi cientista-chefe do C.E.S.A.R (centro de estudos e sistemas avançados do recife) até 2014.
É professor extraordinário da CESAR School, professor emérito do Centro de Informática da UFPE em Recife e Cientista-Chefe na The Digital Strategy Company.
Foi fellow e faculty associate do Berkman Center, Harvard University, de 2012 a 2015 e professor associado da escola de direito da FGV-RIO, de 2014 a 2017.

Adriana Barbosa
É a mulher por trás de toda a plataforma Feira Preta. Há 18 anos, com pouco mais de 20 anos de idade, criou a maior feira negra da América Latina, para fomentar os negócios de empreendedores negros e atender consumidores afro ávidos por produtos que remetessem às suas raízes. O projeto se expandiu e hoje Adriana capacita empreendedores por todo o Brasil para desenvolver suas empresas.
Em 2017 foi homenageada junto a Lázaro Ramos e Taís Araújo como um dos 51 negros com menos de 40 anos mais influentes do mundo pelo Mipad, premiação mundial reconhecida pela ONU. Em 2019, Adriana Barbosa venceu a categoria Troféu Grão do Prêmio Empreendedor Social promovido pela Folha de São Paulo, com a aceleradora Pretahub, e também foi vencedora da categoria Empreendedorismo e Negócios do Prêmio CLAUDIA 2019, recebendo o troféu de Luiza Trajano, do Magazine Luiza. Em janeiro de 2020, ganhou o Prêmio Estado de São Paulo para as Artes, da Secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa, na categoria cultura urbana.

 

Camila Achutti
Fundadora e CEO da Mastertech, escola de pensamento digital, ágil, lógico e humano. Trabalhou com grandes empresas como Google, Itaú, Citibank, IBM, entre outras. É professora do Insper, com bacharelado e mestrado na Universidade de São Paulo (USP) em Ciência da Computação; atualmente é doutoranda na Escola Politécnica da USP.
Selecionada pela FORBES como uma das 5 talentos brasileiras em tecnologia com menos de 30 anos e como uma das 100 líderes de amanhã, Camila é também colunista regular da Época Negócios revista, membro da Women20 (W20), uma iniciativa das Nações Unidas que reúne líderes de opinião no debate sobre diversidade, inclusão digital e igualdade de gênero para uma sociedade mais próspera.

Rajesh Mirchandani
Rajesh é Diretor de Comunicações da Fundação das Nações Unidas, na qual lidera uma talentosa equipe de comunicadores que trabalham para promover o progresso de importantes questões globais. Tem mais de 20 anos de experiência em jornalismo global com a British Broadcasting Corporation, incluindo cinco anos baseado nos Estados Unidos. Ele cobriu uma ampla variedade de histórias e questões: duas eleições presidenciais nos EUA, terremoto no Haiti, segurança de saúde global no Chifre da África e investimentos em energia verde na Califórnia.
Em 2012, Mirchandani recebeu um diploma de pós-graduação em diplomacia pública pela University of Southern California em Los Angeles. Ao longo dos anos, ele tem sido um colaborador frequente da ONU como moderador e comentarista.

Sobre o Social Good Brasil
O Social Good Brasil é uma organização da sociedade civil (OSCIP) que existe desde 2012 e foi criada a partir de uma parceria com a Fundação das Nações Unidas, que lidera o +Social Good no mundo. A ONG é precursora no desenvolvimento de metodologias em que dados e novas tecnologias são utilizados de forma consciente, ética e voltada para o bem, gerando impacto socioambiental positivo em todo o país. Visando ao bem-estar social e coletivo, trazemos contribuições para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), criados pela Organização das Nações Unidas (ONU) em cada projeto que construímos.

Conheça o SGB em: https://socialgoodbrasil.org.br/festival.

Notícias Relacionadas