Eventos de inovação e tecnologia se reinventam em tempos de pandemia

04 de Setembro de 2020

ASE, Startup Summit, Effecti Experience e Innovathon Brasil são alguns dos eventos consolidados que se adaptaram para o formato digital

Foto: annie-spratt-g9KFpAfQ5bc-unsplash

 

Feiras de negócios, conferências, trade shows, congressos, palestras. Eventos que há muito tempo fazem parte do mundo corporativo em diversas frentes —  como a capacitação de profissionais, network, prospecção de clientes e fechamento de novos negócios — foram cancelados com o avanço da pandemia, e sem perspectivas de retorno. Um cenário de incertezas que forçou as empresas a buscarem novas alternativas, pensar em novos formatos para conseguirem sobreviver e se manter próximo de seus clientes. 

Tendo a tecnologia como principal ferramenta, a mobLee, empresa de soluções para eventos, em uma rápida resposta à movimentação do mercado causada pela pandemia do COVID-19, criou o mobLee 365, solução digital que permite que organizadores de eventos corporativos realizem seus eventos sem reunir o público fisicamente, mantendo-se de forma virtual. Criado pensando especificamente na dinâmica de eventos corporativos, a solução permite a criação de trilhas paralelas para conteúdo, salas específicas para discussão de temas e networking, timeline interativa do evento diretamente na tela, com foco em engajamento, e streaming das palestras. 

Além disso, o mobLee 365 é sincronizado com o Engage, aplicativo da empresa que conecta participantes à organização dos eventos, os mantendo atualizados com informações da programação e permitindo uma experiência contínua de troca entre os inscritos. 

“Com as duas soluções, é possível trabalhar o pré-evento, criar dinâmica de duas telas, com interação sincronizadas tanto no ambiente de transmissão quanto no mobile, e aumentar ainda mais o engajamento dos participantes — entregando a mesma experiência de um evento físico”, explica André Rodrigues, CEO da empresa.

Confira exemplos de eventos consolidados no formato presencial que partiram para o digital

CASE & Startup Summit 2020

O Sebrae, a Associação Brasileira de Startups (Abstartups) e a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) se uniram para trazer dois dos mais importantes eventos presenciais de startups do Brasil — o CASE (Conferência Anual de Empreendedorismo e Startups) e o Startup Summit — para o digital, consolidando o maior evento de empreendedorismo online do continente latino americano.

Diferentemente de suas edições anteriores, o CASE + Startup Summit terá cinco dias de duração, de 19 a 23 de outubro, com conteúdos ininterruptos. Serão mais de 300 palestrantes, quatro palcos, 12 trilhas de conteúdo, salas de networking e negócios. O CASE, em sete anos de história, já soma mais de 42 mil participantes em suas edições, e o Startup Summit teve a participação de 6.500 pessoas em apenas dois anos de projeto.

Alexandre Souza, gestor do programa de capacitação Startup SC, do Sebrae/SC, e idealizador do Startup Summit, explica que existem vantagens e desvantagens do evento online em relação ao presencial. É mais fácil de conseguir boas confirmações de palestrantes, pois não há o fator deslocamento. “Nomes que tinham declinado o Startup Summit aceitaram compor a programação do online. Mas tem alguns aspectos que se perdem no digital, não tem o aperto de mão, o olho no olho. Precisamos pensar em alguma forma de promover esta aproximação entre os participantes", conclui.  

 

Effecti Experience 

Realizar eventos para capacitar e levar informações confiáveis para os fornecedores públicos é um dos propósitos da Effecti, startups de Rio do Sul (SC) que fornece tecnologia para participantes de licitações. Em 2019, a empresa realizou a primeira edição do Effecti Experience, reunindo mais de 300 pessoas em Florianópolis. Com o sucesso do evento, os planos para 2020 era dobrar o número de participantes. Inicialmente, o Effecti Experience aconteceria no mês de setembro novamente na capital catarinense, mas com o avanço da pandemia precisou ser reformulado para o formato online. 

O evento foi dividido em 7 encontros a cada quinze dias, sempre com dois palestrantes convidados, além de interações online, sorteios e espaço para tirar dúvidas. Todos os participantes que já haviam adquirido o ingresso foram ressarcidos. Os palestrantes abriram mão do cachê e todo o valor arrecadado com as vendas de ingressos será destinado a ações de combate ao coronavírus.

Até o momento, cerca de 2300 pessoas assistiram as transmissões, com uma média de 150 participantes ao vivo em cada palestra. “Tivemos um excelente receptividade do público de todo o Brasil, que interage bastante durante as palestras e também através do grupo de telegram que foi criado. Até mesmo diante dos imprevistos, como o dia em que um ciclone bomba atingiu Santa Catarina durante uma das transmissões, deixando a cidade de Rio do Sul sem eletricidade por quase 2 dias. O palestrante gravou sua palestra e enviamos depois para os participantes”, conta Marina Silva, coordenadora de eventos da Effecti. 

 

Innovathon Brasil 

Algumas empresas apontam experiências muito positivas com a virtualização dos eventos. É o caso do Innovathon, uma maratona tecnológica, de iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU), onde equipes desenvolvem soluções inovadoras para alguma questão de preocupação mundial. De origem portuguesa, o evento aconteceu pela primeira vez no Brasil em 2020. 

A pergunta era como planejar uma nova dinâmica e encontrar uma ferramenta para conectar os participantes aos 25 mentores por dois dias ininterruptamente. A resposta veio por meio da tecnologia, com uma ferramenta de videoconferência. "Ouvimos o desafio e apresentamos a solução", explica Diego Ramos, da Teltec Solutions. "Oferecemos a solução Microsoft Teams, personalizada às necessidades do evento, alinhando as salas e criando uma nova versão dessa maratona", conta o diretor.

Os organizadores contam que o novo formato permitiu um crescimento inesperado do evento: O que seria um encontro presencial de 10 equipes, limitado ao máximo de 50 pessoas, se tornou uma maratona online com 21 times e mais de 100 participantes, tornando esta a maior edição já feita. "O fato de ser virtual trouxe mais pessoas, uma das vantagens para o novo normal do setor de eventos. Além disso, economizamos em custo e tempo", revela Lucas Miguel Gnigler,  Diretor de Projetos da Mauá Ventures, promotora do Innovathon Brasil 2020.