Cinema de Florianópolis é o primeiro 100% solar no Sul do Brasil

07 de Junho de 2019

O sistema fotovoltaico tem 95,04 kWp de potência e 500 painéis instalados em 2 mil m² de telhado do Centro Empresarial Corporate Park

Desde o final de maio, o Paradigma Cine Arte, de Florianópolis, oferece aos frequentadores um grande diferencial de sustentabilidade: é o primeiro cinema totalmente abastecido por energia solar na região Sul do Brasil. O sistema fotovoltaico de 95,04 kWp (quilowatts-pico) de potência, com 500 painéis instalados em 2 mil m² de telhado do Centro Empresarial Corporate Park, foi implantado pela ENGIE. A geração estimada de 117,7 mil kWh/ano pode atender todo o consumo do cinema e do escritório da construtora que administra o condomínio.

“Estamos muitos satisfeitos e no ano que vem devemos ampliar o projeto para toda a área comum do Centro Empresarial”, diz o sócio da Rá Incorporações e gestor do Paradigma, Frederico Didoné. Ele conta que o sistema da ENGIE foi planejado para gerar uma economia mensal média de R$ 8 mil. Sua expectativa é que o investimento de R$ 390 mil nos equipamentos e R$ 60 mil em obras de engenharia civil se pague em até cinco anos. O equipamento tem vida útil de aproximadamente 25 anos.

Referência cultural na cidade, o Paradigma exibe filmes que não costumam entrar no circuito comercial. Já são mais de 1.500 títulos desde a sua criação em 2010, com quatro sessões diárias. A programação destaca eventos como o Festival Varilux de Cinema Francês, que em junho exibirá 20 filmes inéditos em três semanas. “Investir em energia limpa é uma tendência inevitável e se soma a outras iniciativas que nos orgulham bastante, como os lagos ornamentais abastecidos com água da chuva e o fim do uso de material impresso na divulgação da programação, para economizar papel”, afirma o empresário. “O público está consciente e reconhece a importância isso”.

O Corporate Park, localizado na rodovia SC-401, abriga 60 empresas de diversos portes e segmentos em oito blocos de prédios horizontais. Essa disposição arquitetônica favorece a instalação de placas fotovoltaicas. A futura expansão do sistema para os 6 mil m² de telhado restantes poderá fornecer energia para alimentar garagens, elevadores, câmeras de segurança, iluminação noturna, estação de tratamento de esgotos e bombas que puxam água de dois poços artesianos.

Outro cliente da ENGIE em Florianópolis é o Tribunal de Justiça de Santa Catarina, que está prestes a inaugurar um sistema fotovoltaico com capacidade instalada de 46,9 kWp e geração estimada de 58,2 mil kWh/ano. Em São Carlos, no oeste catarinense, a ENGIE ajudou a Ogochi a se transformar, em março, em uma das primeiras indústrias de confecção do Brasil a alcançar autossuficiência na geração de energia solar fotovoltaica.