Cão terapeuta do luto visita capelas velatórias na grande Florianópolis

21 de Agosto de 2018

Iniciativa do Crematório Vaticano, localizado em Palhoça, propõe uma troca de afeto entre humanos e cães, que vem ajudando muitas pessoas em momentos de perda

 

Thor, um golden retriever, de quatro anos, conhecido por ser dócil e carinhoso, tem como missão   amenizar a dor de quem passa por um momento tão difícil que é a perda de um ente querido.  A partir de uma parceria realizada entre o Crematório Vaticano, e a psicóloga e terapeuta Tatiana Brauner, o cãozinho também participa de cerimônias de despedidas nas capelas em situações que a família enlutada deseje sua presença.

Treinado para deixar as pessoas se aproximarem, fazerem carinhos e afagos, o Thor atua na cura do processo de luto interagindo com os presentes. “Sabemos a ligação que as pessoas têm com cachorros e percebemos como a presença de um cão dócil muda o bem-estar delas em momentos tão difíceis como um velório”, explica Mylena Cooper, diretora do Crematório Vaticano.

A história de voluntariado de Thor começou há um ano e meio, com alguns dos pacientes de Tatiana, que é terapeuta especializada em EMDR (técnica voltada para cura de traumas e reprocessamento do cérebro). Thor começou a acompanhar alguns pacientes em consultas e o resultado foi altamente satisfatório. “O Thor é um cão muito especial. Estou com ele desde os dois meses de idade e, apesar de ser um cão de grande porte, ele é extremamente calmo e dócil, característica da raça. Ele se aproxima de todas as pessoas e não há quem ele não conquiste. Isso faz toda a diferença em um momento de perda ou em uma situação traumática”, conta a psicóloga.  

A iniciativa não tem custos e tem como proposta trazer mais leveza em momentos difíceis. Para Tatiana, essa é uma das formas mais efetivas de troca de carinho. "Eu acho que os cães têm um dom. Eles são puros. E o auxílio com as pessoas que estão precisando seja em asilos, consultórios e velórios é muito saudável” completa.