ACATE define nova presidência em assembleia remota

21 de Maio de 2020

Iomani Engelmann assume a presidência a partir de 1º de junho

Representantes das empresas que integram a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) elegeram em assembleia remota nesta quarta-feira (20),  a nova diretoria para o biênio 2020-2022. Iomani Engelmann, sócio-fundador e atual diretor de marketing e novos negócios da Pixeon, assume a presidência no dia 1º de junho e a entidade passa a contar com seis vice-presidentes: Annalisa Blando Dal Zotto (Parmais), VP de Finanças; Arthur Medeiros Nunes (PlotKids), VP de Ecossistema; Diego Brites Ramos (Teltec), VP de Relacionamento; Henrique Marcos Fava Bilbao (Ezok), VP de Marketing; Moacir Antonio Marafon (Softplan), VP de Talentos; e Nelissa Gevaerd Colossi Branco (Softecsul), VP de Integração. 

Nova gestão

A nova gestão chega com o  desafio de renovação e continuidade ao projeto de integração regional do ecossistema,  o que se reflete na composição da diretoria e conselho deliberativo com representantes de todas as regiões do estado. Além disso, fundadores de empresas de todos os portes integram a diretoria e o conselho, trazendo a vivência de toda a jornada do empreendedor para a gestão da ACATE. Um dos grandes objetivos da entidade para os próximos anos é atuar em conjunto com os governos municipais, estadual e federal na criação e aprimoramento de políticas públicas para o desenvolvimento do setor, assim como na formação contínua e consistente de profissionais de tecnologia.

Engelmann conhece muito bem a ACATE. Sua empresa, a Pixeon, nasceu dentro da incubadora da instituição com o Sebrae-SC, o MIDITEC, e hoje a companhia é uma das referências no país no segmento da saúde. Além disso, ele era vice-presidente de Negócios da associação na última gestão, e promete dar continuidade ao trabalho iniciado. “Temos ciência da importância e relevância que o ecossistema catarinense de tecnologia e inovação ganhou para o país nos últimos anos, sob a liderança e referência da ACATE enquanto entidade. Queremos seguir promovendo com melhoria contínua ações para consolidar este ambiente ainda mais, inclusive com uma visão cada vez mais global”, afirma Engelmann. A entidade, segundo o presidente eleito, seguirá sensível ao atual momento econômico e social que o país e o mundo estão vivendo, reforçando suas ações para que a retomada aconteça de forma sustentável e com a tecnologia sendo protagonista da transformação digital de diversos setores.

Conquistas realizadas

A assembleia online também apresentou os principais indicadores da entidade e colocou em votação a as contas do exercício de 2019. O atual presidente, Daniel Leipnitz, esteve à frente da entidade nos últimos quatro anos e continuará atuando na ACATE como integrante do Conselho Deliberativo. Dentre as ações de destaque do seu período, Daniel citou a integração e a união do setor, com a unificação de atividades em vários polos regionais; a criação do LinkLab, espaço de inovação aberta que aproxima médias e grandes empresas a startups; e a expansão para além de Santa Catarina, com a abertura de escritórios em São Paulo e nos Estados Unidos. 

“É importante uma oxigenação na gestão, e acredito que o principal legado que deixo é a integração e união do ecossistema. Não tenho dúvidas de que ações com este objetivo continuarão a ocorrer, especialmente pela diversidade de nomes eleitos”, destacou Leipnitz. 

 

A nova gestão assume a partir do dia 1º de junho em meio aos desafios da crise causada pela pandemia do coronavírus. Uma das últimas iniciativas da gestão de Leipnitz foi justamente o lançamento de um plano de ação para auxiliar as associadas neste momento de retração, que seguirá sendo prioridade para a nova diretoria. No mês de junho, a entidade divulga também o ACATE Tech Report que, neste ano, além dos principais dados do ecossistema catarinense, vai apresentar os resultados da pesquisa realizada entre os associados sobre os impactos da crise sanitária e econômica nas empresas catarinenses de tecnologia. 

 

Notícias Relacionadas