ENTREVISTA | Marcelo Silva, diretor da Gráfica Natal, 41 anos no mercado

23 de Outubro de 2015

A Gráfica Natal foi fundada em Florianópolis em 1974 por Antônio Carlos da Silva, ex-bancário, que tinha na época formação de impressor gráfico adquirida em 1966 na Escola Técnica Federal. Em poucos anos de atividades ela já se tornava referência no ramo gráfico catarinense, fruto de uma série de inovações como a impressão offset na década de 70 e investimento em impressoras do formato ‘meia folha’ na década de 80. Em 2008 foi realizado um grande investimento que transformou a empresa num parque gráfico dos mais modernos do Estado. Neste ano, ela novamente investiu em sua competência ao adquirir uma HP Indigo, a primeira da região, Este equipamento além da qualidade melhor, traz muitos benefícios aos consumidores. AcontecendoAqui entrevistou Marcelo Silva, diretor da Gráfica Natal, que fala sobre a trajetória da empresa fundada por seu pai.

AcontecendoAqui - O setor gráfico tem evoluído muito com as novas tecnologias. Como a Gráfica Natal tem se adaptado ao mercado?

Marcelo Silva - Estar alinhado com as novidades tecnológicas é essencial para mantermos a competitividade e avançarmos sempre. Destaco nossa última aquisição – a máquina digital HP Indigo 3550, a única que é simultaneamente offset e digital e que promete uma revolução na impressão de todo tipo de material do setor. Com ela é possível personalizar desde livros até convites, brindes, flyers, fôlderes e catálogos, entre outros. A meta é aproximar e incrementar a comunicação das empresas com seus clientes através de conteúdo personalizado.

 

AcontecendoAqui - Em que este equipamento difere do modo tradicional de impressão?

Marcelo Silva - Trata-se de uma evolução sem paralelo diante das máquinas offset. Um upgrade que, além da qualidade melhor, traz muitos benefícios aos consumidores. A principal vantagem é a possibilidade de realizarmos qualquer tiragem a preços mais acessíveis. Com o método convencional, o custo da produção de poucas unidades é semelhante ao valor para quantidades maiores. Além disso, a comunicação personalizada, já que cada cliente é único, é um grande diferencial. Também evita desperdício com tiragens enormes e sem necessidade. Os acabamentos, cortes e impressão de fotos mostram muita superioridade sobre os demais equipamentos. Utiliza tinta líquida e grava chapas, como a offset, podendo imprimir a partir de uma única unidade. Isso sem falar em dados variáveis e uma gama enorme de papéis especiais e outros substratos.

AcontecendoAqui - Qual foi o montante investido na nova máquina HP Indigo?

Marcelo Silva - Somente neste equipamento foi investido R$ 1,5 milhão.

 

AcontecendoAqui - Com 40 anos de atividade, como a Gráfica Natal se situa hoje no mercado? Qual a receita desta longevidade?

Marcelo Silva - Estamos em pé de igualdade em qualidade com gráficas de países desenvolvidos, como Japão e EUA. A receita é estarmos sempre nos reinventando. Um exemplo: desde 2008 ampliamos nossa estrutura apesar de continuarmos no mesmo endereço, no bairro Capoeiras, de fácil acesso, próximo à Ilha de Santa Catarina e também aos municípios vizinhos.

 

AcontecendoAqui - Quais os serviços que a Natal oferece ao mercado e os principais setores atendidos pela empresa?

Marcelo Silva - A Gráfica Natal é especializada em material publicitário - desde um simples flyer até catálogos bastante elaborados, embalagens finas, materiais em PDV, livros, revistas e informativos, entre outros. Além disso, os equipamentos atuais permitem uma versatilidade enorme e estamos prontos para atender tudo o que os clientes puderem imaginar. Nossa equipe está a postos para ajudar neste processo.

 

AcontecendoAqui - Qual a estrutura atual de funcionários e equipamentos?

Marcelo Silva - A equipe conta com aproximadamente 40 colaboradores e possui todos os equipamentos de pré-impressão, impressão e acabamento. Só terceirizamos algo quando as máquinas estão com a fila de produção muito ocupada. É o conceito all-in-one.

 

AcontecendoAqui - A adoção de posturas que defendem o fim do uso do papel em várias atividades é uma ameaça ao setor?

Marcelo Silva - Acreditamos que o uso do papel é insubstituível em diversos aspectos, principalmente na confecção de produtos personalizados. Quanto ao respeito ao meio ambiente, concordamos em economizar ao máximo, aspecto que nossos diferenciais contribuem e muito. Entretanto, o papel usado em gráfica é oriundo de reflorestamento e biodegradável.

 

AcontecendoAqui - Hoje a região da Grande Florianópolis conta com cerca de 300 gráficas em atividade. Existe mercado para tantas?

Marcelo Silva - A concorrência é grande, porém com muitos serviços sem qualidade. Nossa meta é sermos um oásis em meio às centenas de gráficas em atividade em nossa região.

 

AcontecendoAqui - Comente a trajetória dos 40 anos em quatro momentos.

Marcelo Silva - Sempre fomos inovadores, uma das primeiras gráficas da região a trabalhar com impressão offset na década de 70. Depois, na década de 80, também estivemos à frente com os investimentos em impressoras do formato ‘meia-folha’. Em 2008 nos reinventamos e transformamos o parque gráfico em um dos mais modernos do estado. Agora, com a HP Indigo, a primeira da região, estamos dominando as necessidades de impressão do mercado.

 

AcontecendoAqui - Quais os valores da Gráfica Natal para chegar ao posto de referência no setor em Santa Catarina?

Marcelo Silva - Investir em tecnologia e trazer o que há de melhor no mundo para Florianópolis é fundamental. Mas honestidade, seriedade e qualidade, fazem toda a diferença. Por isso nos mantemos há 41 anos no mercado. O respeito, atenção e vontade de sempre auxiliar nossos clientes é nossa marca registrada.

 

AcontecendoAqui - Quais os principais desafios do ramo gráfico nos próximos anos?

Marcelo Silva - O ramo, assim como a economia brasileira, precisa superar os desafios de sempre: um sistema que não coopera, legislações atrasadas, burocracia que inibe o crescimento, instabilidade e insegurança jurídica. Mesmo assim arregaçamos as mangas e seguimos trabalhando. Temos certeza de que o melhor ainda está por vir.

Fotos: Carlos Rocha

Notícias Relacionadas