ENTREVISTA | André Azevedo, ator e produtor cinematográfico

12 de Setembro de 2018

AcontecendoAqui entrevistou André Azevedo, filho de britânicos que passou a maior parte de sua vida em Florianópolis

Foto Rudi Bodanese
 

Nessa conversa com o portal, André Azevedo revela sua experiência como ator em variadas produções no Brasil e no Exterior e dá detalhes de sua empreitada na produção do longa-metragem THE GEM. O filme de ação e suspense eletrizante gira em torno de um mercenário que trabalha como agente secreto com o nome de Jake (André Azevedo) e Eve (-), uma adorável hacker, onde cruzam seus caminhos inesperadamente quando descobrem que uma jovem de apenas 16 anos chamada Jenny, caiu nas garras de uma gangue de traficantes de mulheres e ambos tem somente 9 horas em uma corrida contra o tempo para resgatá-la, lutando contra inimigos ferozes para evitar que Jenny saia do país em qualidade de escrava para nunca mais ser vista.
 

O que o motivou a empreender na produção desse filme?

Primeiramente, obrigado pela oportunidade de poder fazer esta entrevista para o portal AcontecendoAqui. O que me motivou a querer produzir este filme, primeiramente foi a vontade de atuar em filmes de ação. O grande desafio é a performance do ator na hora em que vai entrar em cena, estar conectado com o personagem, onde naquele instante, naquele exato momento, eu não sou mais eu, mas sim, o personagem que tenho que desempenhar.

Além desse roteiro, você já participou de algum outro em que o filme foi produzido? Caso sim, comente sobre a experiência. 

A experiencia que tive no cinema foi bastante desafiadora. Optei por estudar atuação fora do Pais, sem nunca ter atuado antes. Lá fora tive a chance de atuar em alguns trabalhos como curtas, longa  e comercial, o que me fez ter este contato direto com a sétima arte. Atuei também em alguns curtas em minha cidade, Florianópolis e São Paulo. 

Como trabalhos notáveis, posso citar um curta que fiz em Portugal para uma competição chamada Lisbon film 48 hours competition, onde tive a chance de ser selecionado para atuar nesse curta chamado ISTO É PRA TI. Posso citar também, o curta que fiz em Florianópolis chamado FERIADO,  onde além de o filme ter sido selecionado para vários festivais internacionais e aqui no Brasil, ganhamos prêmio no FAM de melhor direção de arte, pelo júri popular. Posso citar também um comercial que fiz em Milão, chamado Ramatonic, onde estava no início de minha carreira estudando atuação na Europa. Cito Hampstead Heath Love , curta que fiz em Londres, onde pude estar em contato com cenas de atuação, ajudando também na coreografia de lutas e aumentando minhas expectativas para levar o sonho de atuar em filmes de ação. Seguido por REMAKERS, uma web série feita aqui em Florianópolis, onde pude atuar em cenas de ação interpretando um policial, onde trabalhei das 20:00 hs até  até 8 da manhã do dia seguinte. E finalizo, com o filme EDGE OF TOMORROW, onde tive a oportunidade de ser um dos figurantes e ter o privilégio de ver os atores Tom Cruise, Emily Blunt, Bill Paxton e o diretor Doug Liman, de perto. Inclusive, consta meu nome no casting, mas infelizmente no filme não.

O mais importante foi a experiência adquirida e o desejo de ir em frente, à busca do sonho de ser um herói de ação. 
 

Conte um pouco sobre a origem de sua relação com o cinema.

Minha relação com o cinema e com as artes, começou aos 9 anos de idade, no colégio Menino Jesus, onde a professora pediu para apresentarmos um teatro em caixa de sapato, com personagens colados em canudo, para contar uma história.

No primeiro ano do segundo grau, onde eu estudava no Colégio Decisão, filmamos um curta metragem de 5 minutos,. Estas duas experiências, me ajudaram a definir uma profissão, que realmente sentisse prazer. Foi quando decidi pegar minha mochila e ir para Londres estudar atuação, apesar de que na época, ainda não havia decidido trabalhar nessa área. Porém, no meu retorno à Inglaterra, tive bastante convicção de que havia me encontrado na vida. As coisas começaram a acontecer e fiz alguns curtas nesta época. Voltei para o Brasil em 2011, onde produzi uma Web série chamado THE GRINGO, que foi feito na cara e na coragem, pois não havia verba e nem ajuda. Apesar disso, eu e um amigo fizemos o primeiro episódio da WEB SERIE, mas como o projeto não era meu, não foi dado continuidade. Meu amigo escreveu o roteiro e eu fui um dos produtores, onde consegui locação, atores, atrizes, diretor, etc.

Em relação ao formato do filme, será de longa ou curta-metragem?

Será longa metragem, rodado em inglês.

Até o momento, a produção conta com algum apoio? Há alguma chance de ser aplicada a Lei Rouanet na produção?

No momento ainda não. Estou com uma profissional me auxiliando no Marketing Digital. Representar meu Estado no Cenário Internacional de Cinema, com certeza é uma honra muito grande. Já pedi ajuda a alguns politicos, mas não tive retorno. Em relação à Lei Ruanet, não será possível, pelo fato de incentivar apenas curtas e médias. 

Para longa metragem, é aplicada a Lei do Audiovisual, onde as empresas podem disponibilizar 10 por cento do faturamento. Para receber o benefício desta Lei, é necessário ter uma produtora, que já está sendo criada.

Como você disse, o filme será rodado em inglês, em que região o mesmo será situado?

Realmente será. E pelo fato de eu ter ascendência britânica por parte de mãe, inclusive, o sobrenome do meu bisavô era Quintino, originado de Quints, me motivou a atuar em inglês. Meus antepassados, provavelmente estavam no navio que naufragou na praia dos ingleses, por isso, essa praia batizada com este nome. Pretendo fazer algumas cenas em Florianópolis, onde é a minha cidade natal.

Apesar de ter morado nos Estados Unidos, Inglaterra e São Paulo, tenho um carinho especial por Floripa, onde vivi a maior parte da minha vida. Porém, vai depender muito dos parceiros que tiverem envolvidos no filme.Tenho mantido contato com algumas produtoras internacionais e profissionais da área, inclusive no Brasil, mas sabemos que para atingirmos o nosso objetivo, devemos ter um pouco mais de paciência, haja vista, que longa metragem além de um custo alto, leva um tempo maior para ser rodado.

O que mais podemos esperar do projeto?

Podemos esperar um ótimo filme sobre tráfico de mulheres e com grandes cenas de ação. Sem contar, que poderá se tornar uma trilogia. Vamos torcer para que dê tudo certo e que meu sonho de infância, se torne realidade.

Para maiores informações sobre o projeto "THE GEM", acesse este link.

Clique na galeria para ampliar as imagens: