Aliança Francesa de Florianópolis abre sequência de exposições com os vencedores do Prêmio AF de Arte Contemporânea 2018

28 de Novembro de 2018

Entre 86 artistas inscritos, a itajaiense Sarah Uriarte ficou com o 1ª lugar

Reconhecido como uma das mais importantes premiações na área das artes visuais em Santa Catarina, o Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea inova em sua 5ª edição e os três artistas vencedores terão exposições individuais para que o público conheça mais de perto os trabalhos realizados. A primeira exposição inicia na próxima quarta-feira (05), no Memorial Meyer Filho, no centro de Florianópolis.

Dos 86 portifólios recebidos pelo júri técnico, formado pela curadora e pesquisadora Kamila Nunes e pelo artista visual Fábio Morais, o trabalho da Itajaiense Sarah Uriarte, chamou mais atenção. Denominada “Entre être” (Entre Ser e Estar, em Francês), a exposição é um percurso dos trabalhos desenvolvidos até aqui. Um ponto entre ser e estar, lugares que o português traz em verbos diferentes para falar de questões existenciais e descrever situações momentâneas, respectivamente, e que o francês reúne em um só verbo, être. “Ganhar o Prêmio AF de Arte Contemporânea, especialmente em 2018, é algo a ser comemorado e vivido. Nos últimos tempos,  a produção contemporânea em artes visuais sofreu diversos tipos de censuras por parte de instituições, pessoas e movimentos que sequer se relacionam com arte. Isso significou um esvaziamento das discussões e das possibilidades de diálogo a respeito das próprias linguagens artísticas”, destaca Sarah”. Além da exposição, a vencedora do Prêmio AF de Arte Contemporânea 2018 cursará uma residência de três meses Cité Internationale des Arts, em Paris.

De acordo com a Diretora da AF, Solène Leblanc-Maridor, o Prêmio está em busca da excelência na produção artística de arte contemporânea no Estado de Santa Catarina. “Estamos conseguindo atingir nossos objetivos de descobrir artistas talentosos e apoiar o desenvolvimento de seus projetos, especialmente através de intercâmbios interculturais com a França. Dando destaque para aqueles que fazem o uso de linguagens artísticas que questionam, renovam, tensionam e hibridizam”, avalia.

Os artistas Sérgio Adriano H, de Joinville, e Vulcanica Pokaropa, de Florianópolis, ficaram com o segundo e terceiro lugares, respectivamente, e também terão suas exposições individuais no primeiro semestre de 2019.

Notícias Relacionadas