Pesquisa do Sebrae e FGV mostra que 70% das pequenas empresas estão no digital

12 de Janeiro de 2021

Com a pandemia, internet tem sido uma grande aliada na sobrevivência de inúmeros negócios no país

Pixabay on Pexels

Com as restrições impostas no Brasil pela pandemia de coronavírus desde março de 2020, muitas empresas tiveram de reinventar seus modos de atendimento e comercialização de produtos, e um dos caminhos seguidos por esses empreendedores foi o comércio eletrônico.

Segundo a 9ª edição da pesquisa "O Impacto da Pandemia de Coronavírus", realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) em novembro de 2020, 70% das empresas começaram a atuar na internet para impulsionar suas vendas - como é o caso dos segmentos de energia, educação e construção civil -, o que representa um aumento de 11% quando comparado à quarta edição do estudo, feito em maio.

Dentro desse contexto, a plataforma mais utilizada por essas empresas é o aplicativo de conversas WhatsApp (84%), seguido do Instagram, com 54%, e do Facebook (51%). Apenas 23% dos negócios vendem por sites próprios. “Isso demonstra que plataformas já conhecidas e com grande capilaridade são mais procuradas pelos empreendedores, que levam em consideração custos de manutenção e a confiabilidade do meio”, destaca o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Outro dado apresentado é que as micro e pequenas empresas (MPE) usam a digitalização de forma mais profissional do que os microempreendedores individuais (MEI) - que utilizam ferramentas mais voltadas para a gestão dos seus negócios. Entre as micro e pequenas empresas, 55% usam ferramenta de gestão, já entre os MEI, esse número cai para 25%. A diferença também é confirmada quando o assunto é ferramentas para gestão de clientes (CRM), que são utilizadas por 25% dos donos de micro e pequenas empresas, mas por apenas 12% dos microempreendedores individuais.

Leia o levantamento completo aqui.

Notícias Relacionadas