ARTIGO | Três motivos para apostar no gerenciamento de dispositivos móveis em seu negócio

17 de Setembro de 2017

por Henrique Augusto*

Com a incidência cada vez maior de ciberataques, as políticas de segurança da informação nas empresas devem ser bem desenhadas e estar devidamente alinhadas com os funcionários, para que todos tenham conhecimento e coloquem em prática. Por outro lado, mobilidade é a chave para a automatização e agilidade dos processos internos e comunicação entre as equipes em um negócio, independente de seu porte ou segmento de atuação. Mas é necessário que os gestores entendam a importância de salientar, junto com seus colaboradores, sobre o uso responsável dos dados e da informação do negócio em dispositivos móveis. De acordo com pesquisa do Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE), 45% dos gestores consultados informaram que a gestão dos dispositivos conectados é o maior desafio para as organizações, especialmente os de uso pessoal dos colaboradores.

É aí que entra um serviço já adotado por gigantes que oferecem serviços com base na tecnologia de Cloud Computing: o gerenciamento de dispositivos móveis. Não adianta pôr em prática uma excelente política de segurança de dados em ambiente corporativo, se essas mesmas informações serão acessadas pelos colaboradores em dispositivos que, necessariamente, não são controlados ou cuja segurança pode estar vulnerável.

Por exemplo, acessar o e-mail corporativo no próprio smartphone não tem nada demais, correto? Errado. Se o usuário acessá-lo usando uma internet aberta em ambiente público, onde qualquer pessoa, inclusive as más intencionadas, também podem fazer uso, indiretamente pode colocar em risco a segurança da informação dos dados corporativos.

Nesse caso, os gestores precisam lidar com a privacidade de seus colaboradores - porque ninguém vai sair por aí bisbilhotando o celular, tablet ou notebook alheio, não é mesmo? Mas é possível gerir o que está sendo acessado, por quem e como, respeitando a intimidade das pessoas. Por meio de ferramentas de gerenciamento como é o caso da Enterprise Mobility Management (EMM) é possível unificar todos os usuários em uma única plataforma para realizar o Mobile Device Management, também conhecido pela sigla MDM ou, em bom português, gerenciamento de dispositivos móveis.

Investir em uma estratégia associada a uma arquitetura robusta do cenário de mobilidade na empresa, para realizar o gerenciamento de dispositivos móveis e os acessos às informações corporativas traz, em contrapartida, alguns benefícios para o negócio além da segurança dos dados. Aqui listo os três mais importantes:

  • Simplificação de TI e redução de custos: ao gerenciar os acessos em uma plataforma, não é necessário possuir uma infinidade de consoles para administrar as informações. Em consequência, reduz os gastos;

  • Segurança: com uma política de mobilidade associada a de segurança gera maior visibilidade ao uso dos dispositivos, inclusive os antigos que não estejam em uso;

  • Maior produtividade com responsabilidade: ao fornecer aos colaboradores, independente de seu nível hierárquico, a possibilidade de utilizar outros dispositivos para o trabalho, aumenta potencialmente a produtividade deles, já que não precisarão estar fisicamente na empresa para desempenharem suas atividades. Cientes das questões de segurança ao utilizar os dispositivos móveis, é mais provável que evitem falhas e exponham as informações corporativas a algum risco.

Em resumo: de nada adianta investir em uma política de segurança da informação no ambiente corporativo se ela estiver deslocada de outras práticas consideradas comuns, como o acesso dos dados por meio dos dispositivos móveis, em qualquer lugar. Conscientização é, neste caso, uma forte aliada na implementação da tecnologia adequada para seu negócio.
 

* Henrique Augusto, CIO e cofundador da Qi Network, especialista em consultoria e arquitetura de soluções em Cloud Computing.