Criadora do mascote da Copa do Mundo da Rússia diz que se inspirou no tatu Fuleco de 2014

19 de Junho de 2018

Foto: Reprodução/Instagram/Ekaterina_moon

Em entrevista ao jornal The Moskow Times, publicada na última segunda-feira (18), a criadora do mascote da Copa do Mundo da Rússia, Ekaterina Bocharova, disse ter se inspirado no tatu Fuleco da Copa do Brasil em 2014.

Ekaterina é uma estudante da Sibéria que ganhou o concurso da FIFA com o mascote lobo Zabivaka (pequeno goleador). O anúncio de que a criação da jovem, hoje com 22 anos, tinha sido o escolhido como mascote oficial da competição foi feito em 21 de outubro de 2016. O prêmio pela criação do lobo com óculos de esquis, segundo o G1, foi simbólico: além de ceder os direitos autorais, Ekaterina recebeu apenas 500 dólares (equivalente a R$ 1.800 ou 32 mil rublos, a moeda da Rússia).

Ao jornal, Ekaterina disse que para buscar inspiração começou a ver exemplos de diferentes mascotes de Olimpíadas e outras competições. "Meus favoritos foram o tatu Fuleco, de 2014 [mascote da Copa do Mundo no Brasil] e o leopardo da África do Sul de 2010, o Zakumi. Meu cão Tyson também foi uma inspiração. Ele formou a base do Zabivaka", afirmou Ekaterina ao jornal, contando que o cão, um terrier, foi quem 'emprestou' as orelhas grandes ao lobo.