SÉRIE | "Os desafios e o legado da pandemia", com Carlos Amaral, vice-presidente de mercado do Sistema Catarinense de Comunicações

16 de Outubro de 2020

O conteúdo local se tornou protagonista na programação das emissoras de TV e rádio.

Os desafios que vivemos em 2020 não estavam no planejamento do mais pessimista gestor desse país. Em questão de dias, todo o trabalho desenvolvido em 2019 para traçar as metas e objetivos de 2020 tornaram-se obsoletos e desconexos da realidade que estava posta. A pandemia nos mostrou que nenhuma certeza é absoluta e que em momentos como esse, a criatividade e a capacidade inovadora são cruciais para a sobrevivência das empresas. Santa Catarina agiu de maneira rápida frente à pandemia e somado a isso, temos um setor produtivo extremamente criativo, inovador e dinâmico que rapidamente buscou formas de contornar as dificuldades. Estes foram alguns fatores que contribuíram muito para que atualmente estivéssemos nesse acelerado ritmo de retomada econômica.

 

O mercado da comunicação é muito sensível às oscilações econômicas e evidentemente sofreu com a incerteza do futuro e com a redução dos investimentos do meio publicitário durante a fase mais aguda da crise. Entretanto, a pandemia também demonstrou a credibilidade dos meios tradicionais em momentos de comoção nacional. Nunca se viu tanta televisão, nem se ouviu tanto rádio como nesses meses em que o Brasil e o mundo praticamente pararam em busca de respostas e de informações.

 

Frente a este cenário, o conteúdo local se tornou protagonista na programação das emissoras de TV e rádio. O SCC/SBT e Grupo SCC nunca produziram tanto conteúdo num espaço de tempo tão curto. Invariavelmente também fomos impactados pela redução nos investimentos publicitários, contudo, a solidez de nossos negócios, os investimentos estratégicos que realizamos nos últimos anos e o modelo de gestão adotado em nossas empresas, nos permitiu enfrentar esses desafios com muita resiliência e segurança. A todo o instante, buscamos compreender o movimento dos consumidores e do mercado para agir de modo a contribuir com a retomada da economia de maneira segura e consistente.

 

O novo normal, que muitos pregavam, não parece ser tão novo assim. Tivemos de fato uma ampla inclusão digital, que antes da pandemia levaria alguns anos para se consolidar, mas que foi motivada pelo comércio eletrônico e pela necessidade de comunicação. Nota-se, também, o crescimento de algumas marcas que souberam se comunicar com sensibilidade e no sentido de ajudar os consumidores durante a pandemia. Não bastava divulgar seus produtos e serviços, era preciso fazer a diferença na vida das pessoas e das comunidades. Os que souberam desenvolver essa comunicação e se reinventaram para atender seus consumidores com qualidade durante a pandemia, certamente estão um passo à frente nesta retomada.

 

O Sistema Catarinense de Comunicações não se furtou em fazer àquilo que está em sua essência desde a fundação: levar informação de qualidade e prestar um serviço de utilidade pública à sociedade catarinense. Não tenho dúvidas de que sairemos desse momento ainda mais fortalecidos do que antes. Além dos investimentos que fizemos antes da pandemia, decidimos de maneira muito consciente ampliar nossos investimentos já neste momento de retomada. No dia 10 de outubro, lançamos o SCC/10, o Portal da Notícia em Santa Catarina. 100% gratuito, o SCC10 nasce com a credibilidade de um sistema de comunicação com mais de 80 anos de história, nos consolidando como um grupo multiplataforma.

 

Não temos conhecimento de outros grupos de comunicação que estejam investindo da forma como estamos neste momento. Fazemos isso, porque acreditamos em Santa Catarina, acreditamos na qualidade do nosso conteúdo e mais do que isso, acreditamos que cada um de nós precisa fazer a sua parte. Além desta grande novidade, o SCC/SBT também está transmitindo com exclusividade na TV aberta a Copa Libertadores da América para o estado de Santa Catarina. E a DITEC Smart Solutions, empresa do SCC focada em inovação e tecnologia, está ampliando seus mercados para o sudeste do país, levando produtos como as body cams, câmeras térmicas, tornozeleiras eletrônicas, radiocomunicadores, sistemas de monitoramento veicular, sistemas de reconhecimento facial, entre outras soluções que utilizam a inteligência artificial.

 

A pandemia nos deixou uma mensagem muito importante sobre a necessidade da responsabilidade social, da prestação de serviços, da produção de conteúdo com credibilidade, da checagem constante da notícia. Nos ensinou que nenhuma empresa é forte o bastante para ignorar o cenário externo, nem frágil demais que não possa se reinventar. A pandemia mostrou que é preciso se preocupar não apenas com o seu setor, mas com toda a economia. O SCC acredita que nos próximos anos, o mercado irá investir em soluções digitais, no relacionamento e na experiência dos usuários, na coleta e análise de dados e em uma comunicação que tenha aderência às necessidades dos consumidores. Por isso, cada vez mais as marcas precisarão entender o mercado em que estão inseridas, para dialogar com as pessoas e fazer a diferença na vida delas.

 

Notícias Relacionadas