SBT Santa Catarina investe para enfrentar a crise e cresce 40% em apenas três anos

28 de Junho de 2018

Direção da emissora celebra os bons resultados, mas se mantém consciente dos desafios que ainda estão por vir e fiel ao seu propósito como instituição.

 

Apresentado por    

As mais recentes pesquisas realizadas em Santa Catarina reafirmaram a vice-liderança do SBT Santa Catarina. Em sintonia com a vice-liderança, está o crescimento econômico da emissora, que prima pela excelência em sua gestão e por investimentos estratégicos. Nos últimos três anos o SBT Santa Catarina cresceu 40% e ampliou o leque de conteúdos que leva aos lares de todo o Estado e as oportunidades que oferece ao mercado catarinense. Na entrevista a seguir, Carlos Amaral, vice-presidente de mercado do SBT Santa Catarina, destaca esse bom momento, o relacionamento com o mercado e os próximos passos da emissora, que foi a primeira afiliada do SBT no Brasil:

 
O desligamento do sinal analógico já começou a ser realizado em Santa Catarina. Como o SBT SC se preparou para isso e quais as expectativas da emissora?

Carlos: Ao longo dos últimos anos trabalhamos intensamente na ampliação da nossa cobertura digital no Estado. Atualmente alcançamos cerca de 4,5 milhões de catarinenses. O desligamento do sinal analógico no Estado é muito positivo para o SBT Santa Catarina, pelo fato de podermos transmitir nossa programação com a melhor qualidade de som e imagem aos lares das famílias catarinenses, e também por nos colocar em situação de igualdade em muitas cidades, visto que em algumas localidades, como a Grande Florianópolis, onde nosso sinal analógico era em UHF. Temos recebido várias mensagem de telespectadores felizes com a qualidade do sinal do SBT SC na sua casa e isso é muito gratificante, pois é o fruto de um trabalho incansável da nossa equipe técnica.

 

O mercado da comunicação sofreu profundas mudanças em Santa Catarina nos últimos anos, como você avalia esse novo cenário? Em que ponto isso favorece o SBT SC?

Carlos: Acredito que esse processo ainda não está concluído, pois realmente as mudanças foram muito significativas, porém acredito que pode ser muito saudável para o mercado, afinal as transformações contribuem para uma maior e melhor distribuição do bolo publicitário no Estado. Em certo ponto, nós do SBT Santa Catarina somos beneficiados por sermos um grupo 100% catarinense e tem na comunicação o seu único modelo de negócio. Costumo dizer que nós do SCC fazemos comunicação por paixão e como missão de vida. A gente catarinense valoriza o que é da sua terra e nós nos propusemos a integrar o Estado e a valorizar a nossa cultura e as nossas tradições. Portanto, creio que nesse aspecto nós podemos nos beneficiar dessas mudanças.

 

No ano passado o SBT Santa Catarina recebeu o prêmio Excelência SC, um reconhecimento pela qualidade de sua gestão. Que mudanças ocorreram na gestão do Grupo SCC?

Carlos: Há cerca de 10 anos iniciamos uma consultoria com a Fundação Dom Cabral, que é uma referência nacional em termos de excelência, e desde então temos construído uma estrutura interna extremamente eficiente e regida por um modelo de gestão sólido e estratégico. Aqui no Grupo SCC nós fazemos mais por menos. Isso tem nos permitido crescer muito acima do mercado nos últimos anos e nos proporciona competitividade, de modo que já somos reconhecidos como a emissora de melhor custo/benefício no Estado. Somos uma empresa sólida e comprometida com o resultado dos nossos clientes, afinal as empresas querem investir numa emissora que lhe oferece segurança institucional e nós temos hoje um rigoroso controle interno dos nossos processos. Esse é um trabalho constante, mas queremos cada vez mais nos destacar também nessa área.

 

Quais as expectativas do Grupo SCC para este ano? Há alguma novidade?

Carlos: Este tem sido um ano desafiador para nós do Grupo SCC. Nossos próximos passos estão dentro de um planejamento que vem sendo executado com muita serenidade. Nossa ideia é manter o bom crescimento registrado nos últimos anos e, para isso, investimos na ampliação da nossa cobertura digital, em novas ferramentas e sistemas de gestão, investimos também em nosso departamento de jornalismo, na contratação de pesquisas para as rádios Clube e Massa FM, no desenvolvimento dos desenhos animados da Turminha do Animazoo que devem estrear ainda este ano, na reformulação da Direta Telecomunicações, que passou a se chamar DITEC e em outras grandes novidades que ainda não posso adiantar, mas que devem ser lançadas no segundo semestre deste ano. Este tem sido um ano desafiador, porém também tem sido um ano de muitas oportunidades para nós do SCC.

 

Como está a audiência do SBT Santa Catarina? O que a emissora tem feito para ampliar os seus índices na Grande Florianópolis?

Carlos: Nossa participação nos lares da Grande Florianópolis está numa crescente. É importante destacar que a Grande Florianópolis é a região que conta para o PNT (Painel Nacional de Televisão), porém em nosso Estado são realizadas pesquisas também em outras importantes cidades do Estado. Nas mais recentes pesquisas divulgadas, o SBT Santa Catarina conquistou a vice-liderança nas cidades de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Joaçaba, Lages e pela primeira vez alcançamos a vice-liderança por quatro meses seguidos na Grande Florianópolis, onde fomos vice-líderes nos meses de janeiro a abril de 2018*. Os resultados que temos conquistado nem de perto se comparam ao que tínhamos há 7 ou 8 anos, quando éramos a pior emissora do PNT. Hoje a realidade é bem diferente, pois cada vez mais temos contribuído para elevar os índices do SBT, ampliando a nossa relevância no cenário nacional. Diversas ações foram realizadas para que pudéssemos obter esses resultados. Investimos na nossa cobertura digital, em nosso jornalismo e qualidade técnica, construímos uma nova sede, novos estúdios e temos investido também em pesquisas que contribuem para nortear o nosso trabalho e a melhoria da nossa programação. Evoluímos muito, porém continuamos trabalhando e investindo para que esses resultados sejam cada vez melhores.

 

*Fonte: Kantar IBOPE Media/ Media Workstation Standard/ Total de ligados Linear / Grande Florianópolis - Abril de 2018 - Faixa horária das 06h às 30h/ Blumenau 07 a 13 de abril de 2018 - Faixa horária 06h00 às 24h00/ Chapecó 06 a 12 de abril de 2018 - Faixa horária 06h00 às 24h00/ Lages 25 a 31 de agosto de 2017 - Faixa horária 06h00 às 24h00 e das 18h00 às 24h00/ Criciúma 17 a 23 de maio de 2017 - Faixa horária 06h00 às 24h00/ Joaçaba 04 a 10 de abril de 2017 - Faixa horária 06h00 às 24h00/ share% domiciliar