Profissionais e a sociedade atual | por Maria Helena Krüger 

12 de Setembro de 2018

Metodologia contextualizada para dar significado à aprendizagem.

“Se o mundo não é mais o mesmo, se as demandas da sociedade se alteraram e se os educandos e seus propósitos são diferentes, não há motivos para imaginarmos que os cursos, em seus formatos e em seus conteúdos, devam permanecer inalterados. Eles se adaptarão ao novo contexto, alguns mais rapidamente, outros com algum atraso, mas, nada permanecerá imune às inevitáveis e aceleradas transformações”. A afirmação anterior é de autoria de Ronaldo Mota e nos faz pensar que seguindo nesse entendimento com foco no empreendedorismo, na inovação e na responsabilidade socioambiental, é hora de promover a reorganização acadêmica das instituições.

 

O pesquisador Jeffry Timmons já afirmava na década de 1990 que o empreendedorismo seria a grande revolução do século XXI, muito maior do que foi a Revolução Industrial para o século XX. Nesse sentido, é fundamental que as instituições passem a oferecer cursos que promovam a aprendizagem e a formação em tempo compatível com a agilidade dos novos tempos; e que passem a ofertar cursos de atualização, qualificação, formação e aperfeiçoamento para pós-graduandos, com elementos metodológicos contextualizados para dar significado à aprendizagem.

 

Caminhando nesse sentido, até meados do próximo ano, a equipe diretiva da Faculdade Energia irá conduzir a instituição para o processo de transformação que vestirá os cursos tradicionais disponibilizados com a roupagem dos novos tempos, acompanhando o dinamismo da sociedade atual e caminhando lado a lado com a Educação 4.0. Os cursos da FEAN tiveram redução de carga-horária e foram organizados em módulos temáticos que agregarão projetos práticos e multiprofissionais para trazer valor ao desempenho profissional e social do fazer acadêmico.

 

Além dessa mudança, um programa de apoio assistido para o atendimento individualizado do estudante e capacitações em funções específicas permitirão que os futuros trabalhadores recebam certificações intermediárias que vão agilizar o ingresso no mundo do trabalho e alavancar suas carreiras profissionais.

 

*Maria Helena Krüger é Diretora da Faculdade Energia