Mídia Sul: A marca deve buscar um reconhecimento e deixar um legado

17 de Setembro de 2015

“Um negócio que não produz nada além de dinheiro é um negócio pobre”. A frase de Henry Ford foi usada por Jorge Pohlmann Nasser, diretor de Marketing e CRM (Customer Relationship Management) do Bradesco para mostrar ações do banco na palestra “Uma empresa olímpica”, realizada no Mídia Sul 2015, nesta quinta-feira, no auditório da Fiesc, em Florianópolis.

Nasser lembrou que um banco que está em 100% dos municípios brasileiros e possui 70 milhões de clientes tem uma responsabilidade que vai além do negócio. Por isso, atua em quatro áreas: educação, cultura, inovação e esportes.

A Fundação Bradesco tem 40 escolas por todo o Brasil, com 100 mil crianças com acesso gratuito à educação. Na cultura, patrocina festas como a Oktoberfest, Marejada e Festa do Pinhão - só para citar as catarinenses -, além da produção teatral. A inovação que proporciona mais rapidez e segurança aos clientes hoje, começou em 1961, com a vinda do primeiro computador para uma instituição no Brasil, depois com a criação do primeiro internet banking e com o primeiro caixa automático do país. 

O patrocínio nos esportes mereceu uma atenção especial. O banco estimula atletas de base de basquete e vôlei, apoia dez modalidades esportivas e tem parceria com a Band em duas rádios que dão voz a outros esportes não muito valorizados na mídia tradicional. 

Nasser foi o responsável pela estruturação da proposta do Bradesco para Patrocínio da Rio 2016, projeto que coordena junto ao banco. Ele contou que, ao apresentar a proposta, a única exigência foi que o patrocínio englobasse a Olimpíada e a Paraolimpíada. “Buscamos um reconhecimento da marca, mas também é fundamental deixar um legado”, defendeu. “O foco do conceito BRA é o Brasil e são os brasileiros. E acreditar no nosso time”. 

Formado em Propaganda e Marketing pela Universidade Paulista, Jorge Pohlmann Nasser cursou o PGA (Programa de Gestão Avançada) do Bradesco, realizado pela Fundação Dom Cabral. Iniciou a carreira no banco em abril de 1984. Em julho de 1986, foi transferido para a Bradesco Vida e Previdência S.A. Em julho de 2006, foi eleito diretor, onde permaneceu até dezembro de 2010, quando foi escolhido para ser diretor do Banco Bradesco S.A., cargo que ocupa atualmente. É Membro da Mesa Regedora da Fundação Bradesco. Foi ainda diretor da Bradesco Seguros S.A. e da BMC Previdência Privada S.A., além de diretor setorial de Marketing e Comunicação da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). 

Realizou os seguintes Programas Excecutivos Internacionais nos EUA: Advanced Management Program – University of Pennsylvania – The Wharton School – Philadelphia; Stanford Graduate School of Business – Leading Change and Organizational Renewal – Stanford; Kellogg School of Management – Strategic Marketing Communications – Evanston; Harvard Business School – Strategic IQ – Boston e Center for Creative Leadership – Leadership at the Peak Program – Colorado Springs. 

A palestra teve como painelistas Walter Bier, secretário estadual de Comunicação; Marcello Petrelli, presidente do Grupo RIC; e Glaucio Binder, presidente da Federação Nacional das Agências de Propaganda.

O seminário tem como tema “A Mídia Gerando Novos Negócios”. Junto com o evento, acontece o 2º Encontro Nacional de Anunciantes e Agências, com o tema "A Revolução do Consumo - desafios e oportunidades para agências e anunciantes”.

Fonte: Seminário Mídia Sul

Notícias Relacionadas