Mensagem contundente do presidente da ACAERT aos deputados catarinenses

21 de Junho de 2021

"Não podemos confundir o papel fiscalizador do parlamentar legítimo e necessário com esse tipo de pirotecnia retórica em busca de likes nas redes sociais. "

 

O presidente da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão – ACAERT, Silvano Silva, apresentou nesta quinta-feira (17), no plenário da Alesc, a “Mensagem Anual do Segmento da Comunicação catarinense” aos deputados estaduais. O documento relatou a atuação das emissoras de Rádio e Televisão em Santa Catarina desde o início da pandemia da covid-19 no estado.

Impacto da pandemia
Silvano Silva afirmou que a radiodifusão foi um dos setores mais atingidos pela pandemia, com uma perda média de 30% do faturamento das emissoras. “Fomos obrigados a nos reinventar da noite para o dia” e “obrigados a enxugar custos e aumentar a eficiência, assim como os demais setores empresarias”.

 

Audiência
Pelos serviços relevantes prestados pelas emissoras, a mensagem ressaltou os recordes históricos de audiência. “Entre os ouvintes, 17% afirmaram ouvir muito mais rádio após o início da pandemia. Já a tv comemora a maior média de audiência dos últimos 5 anos, servindo não só como fonte de informação, mas de entretenimento”.

 

40 anos
Silvano Silva informou também que a ACAERT comemorou 40 anos em plena pandemia. “Não foi uma comemoração com a nossa entidade merecia, mas foi a celebração possível em tempos de pandemia. Marcamos a data com a publicação de um livro histórico, que foi enviado os gabinetes de todos os deputados”.

 

Convênio
O presidente enfatizou o convênio Alesc e ACAERT, tido como referência para o país e que divulga de forma técnica as ações do parlamento catarinense. “Um convênio que já tinha função estratégica no passado, mas passou a ser fundamental em tempos pandêmicos. Nesse contexto, nada melhor do que continuar prestando contas das ações desta casa por meio dos veículos que chegam a todos os catarinenses, ou seja, o rádio e a tv”.

De acordo com Silvano Silva, “é imprescindível lembrar que a ‘publicidade dos atos do poder público’ é uma obrigação legal, amparada pelo artigo 37 da constituição federal, e que o rádio e a tv são os melhores veículos para dar abrangência e publicidade aos atos públicos”.

 

Um recado aos deputados
O presidente alertou que “há poucos anos as redes sociais foram dadas como o novo e único caminho para decidir uma eleição. hoje sabemos que elas não são autossuficientes e alimentam em grande parte a polarização e a desinformação, ancoradas muito mais em métricas da vaidade do que no princípio amplo de publicidade". Para o dirigente, “a falsa ilusão de democracia causada pela sensação de saber que tudo pode ser dito numa rede social, esconde uma ameaça para o próprio modelo democrático, provocada por essa falta de moderação de conteúdo que permite um alcance maior de uma mentira, impulsionada por robôs e algoritmos, do que da própria verdade”.

 

Inversão de valores
Silvano Silva deu ênfase para a importância dos meios Rádio e TV. "São os melhores veículos para dar abrangência e publicidade aos atos públicos. E, por isso, nos chamam a atenção episódios ocorridos em plena pandemia quando a comunicação de campanhas de conscientização e vacinação são mais do que nunca fundamentais, alguns deputados ainda terem insistido em distorcer o princípio constitucional da publicidade para criticar os investimentos em comunicação como se não fosse uma obrigação, mas sim um gasto desnecessário ou até um desperdício de dinheiro público. Consideramos esse tipo de atitude pura demagogia. Não podemos confundir o papel fiscalizador do parlamentar legítimo e necessário com esse tipo de pirotecnia retórica em busca de likes nas redes sociais. 

 

 

Repercussão
Após a manifestação, o deputado Nilso Berlanda (PL) parabenizou a atuação das emissoras e seus profissionais durante a pandemia. “Isolada em casa, foi por meio do rádio que a população recebeu as informações necessárias e não ficou sem informação. A imprensa se desdobrou para levar esse serviço”.

O presidente da Alesc, deputado Mauro de Nadal (MDB), lembrou os vários momentos em que o rádio é essencial, levando a notícia, utilidade pública e o entretenimento. “O rádio faz parte da nossa história de vida”. Já o deputado Márcio Machado (PL) enalteceu o convênio que a Alesc tem com a ACAERT para a divulgação de informações da casa. “O povo precisa ter um maior conhecimento da atuação do parlamento catarinense”.

Para o secretário de Comunicação de Santa Catarina, jornalista João Cavalazzi, a ACAERT é sinônimo de credibilidade. “Vivemos num momento em que a sociedade precisa, mais do que nunca, de informação de qualidade, produzida por profissionais que se preocupam com a ética. E a entidade faz isso”. Ele elogiou também o combate à fake news. “O jornalismo sério é fundamental e imprescindível para a vida social e para o próprio estado democrático e de direito”.

Fotos: Solon Soares/Agência AL

Notícias Relacionadas