LIDE SC apoia o “Fundo Catarina”

30 de Agosto de 2021

A ação busca disseminar o “endowment”, modalidade de doações direcionadas para universidades e centros de pesquisa, prática comum em países desenvolvidos

Presidente do LIDE SC, Delton Batista

 

O LIDE SC - Grupo de Lideranças Empresariais de Santa Catarina - anuncia mais uma participação em ações de estímulo ao desenvolvimento socioeconômico estadual. A entidade empresarial passa a apoiar o Fundo Catarina, um fundo patrimonial sem fins lucrativos (endowment) que tem o objetivo de prover oportunidades acadêmicas e profissionais a alunos do Centro Tecnológico (CTC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Para o presidente do LIDE SC, Delton Batista, a criação de endowments de universidades começou a ganhar força no Brasil nos últimos anos, e o LIDE SC, enquanto entidade atuante no desenvolvimento do Estado, tem o compromisso de apoiar iniciativas como esta que contribuem com a sociedade regional, inserindo Santa Catarina no mapa do desenvolvimento educacional e tecnológico do país.

“Por meio do fundo patrimonial (endowment), buscamos melhorar a educação e o ambiente de inovação de forma profissional e transparente na captação e direcionamento de recursos para iniciativas de alto impacto em ensino, extensão e pesquisa. Instituições de excelência como as universidades de Harvard e Stanford tem nos fundos patrimoniais e doações privadas uma de suas principais fontes de manutenção”, conta Delton.

O Fundo Catarina já agrega participação de nomes relevantes no mercado, como Décio Silva, presidente da WEG; Bruno Keller, presidente da Kraft Heinz Canadá; Marcos Aguiar, sócio sênior do BCG; e Marcelo Consonni Gomes, diretor executivo da Pedra Branca.

O Catarina é uma iniciativa de voluntários e parceiros que atuam em prol da geração de valor para alunos do CTC/UFSC por meio de captação, gestão e destinação de recursos. Ou seja, são captadas doações de pessoas físicas e jurídicas que tenham interesse em investir em educação no Brasil.

O patrimônio doado é aplicado no mercado financeiro, de acordo com sua política de investimentos, e a rentabilidade do fundo gera os recursos que são investidos nos projetos dos estudantes de engenharia e tecnologia do CTC/UFSC, como projetos de extensão, empreendedorismo e bolsas.

O Fundo Catarina foi inspirado nos fundos patrimoniais estrangeiros e brasileiros. O primeiro passo foi ouvir dezenas de alunos, professores e empresários para entender como o fundo patrimonial poderia se tornar uma alavanca de oportunidades para alunos do CTC/UFSC. Em seguida, parceiros estratégicos, como a Menezes Niebuhr, na área jurídica, e o BTG Pactual, na gestão de investimentos, foram adicionados.

O lançamento do fundo está previsto para os próximos meses, mas o Catarina já começou a investir em projetos que geram impacto para os alunos. O primeiro foi o EME, um grupo de profissionais e estudantes da UFSC que desenvolveu equipamentos e protótipos de ventiladores pulmonares de baixo custo, frente à crise da COVID-19.

Outro projeto criado e investido é o Impetus, programa que apoia a preparação de dezenas de graduandos que estão entrando no mercado de trabalho com mentorias de ex-alunos de sucesso sobre carreira e treinamentos de habilidades de negócios e comportamentais com empresas especialistas no tema. O Impetus ocorre semestralmente e contou com investimento da WEG e da Portobello nas suas duas primeiras edições. Aproveitando o viés de engenharia e tecnologia, o Fundo Catarina também trouxe um programa de treinamentos em ciência de dados, em parceria com a consultoria Visagio.

Notícias Relacionadas