Instituto Mapa anuncia que irá medir audiência de TV

20 de Julho de 2015

Atividades começam no 1 de agosto na Grande Florianópolis.

O Instituto Mapa, de Florianópolis, está anunciando que em conjunto com a empresa ICLOP dará início às atividades de medição de audiência do meio TV na Grande Florianópolis.

Depois de dois anos desenvolvendo e testando um sistema próprio de medição de audiência as duas empresas comunicam que a execução desse projeto será realizada com tarefas e responsabilidades distintas. O ICLOP Tecnologia em Pesquisa e Hábitos de Consumo ficou encarregado de desenvolver o sistema, hardware e software, e de todos os aspectos técnicos que demandam a formatação do sistema. O Instituto Mapa será responsável pelos números e análises da audiência, seleção de domicílios, indicadores sócio-econômicos, que fazem parte da metodologia, tendo como base os dados levantados pelo IBGE.

Ampla cobertura
A aferição será feita nas emissoras abertas e por assinatura e vai medir diariamente 25 canais de TV. São todas as emissoras locais e as principais emissoras do cabo.

"A audiência de TV nos últimos anos modificou com o incremento dos canais a cabo. A revolução digital chegou e multiplicou o numero de canais, aumentou a oferta de conteúdo, fragmentou e redistribuiu a audiência da TV" analisa o diretor executivo do ICLOP Paulo Hoeller. Ele explica que hoje a disputa entre TV abertas e a Cabo acontece nas residências de uma grande parcela da população brasileira e isso não pode mais ser desconsiderado ou colocado num segundo plano.

"O papel da pesquisa MAPA/ICLOP é justamente mostrar esse novo cenário da TV brasileira, incluindo todos os canais numa única interface" complementa o diretor do Instituto Mapa José Nazareno.

Estreia
O projeto já nasce com dois assinantes anuais e dois em fase de negociação que vão receber pelo sistema a audiência minuto a minuto, media de audiência por emissora, media por período através de filtros e media por grade de programação. Segundo  João Lajus, diretor de operações do ICLOP , "o objetivo é estender o trabalho a outros municípios, principalmente aqueles que não são atendidos por nenhum instituto e tem a audiência de TV medida por métodos manuais e pouco eficientes".

 

Foto: Mônica Corrêa