Instituto Avon promove concurso de vídeos curtos para adolescentes e jovens

19 de Setembro de 2019

Objetivo é incentivar a discussão sobre a violência contra jovens de diferentes comunidades e grupos sociais

O Instituto Avon, em parceria com a Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados de Brasília, Banco Mundial e Facebook, promove a 7ª edição do Concurso Lei Maria da Penha. A competição é voltada para alunos - de 14 a 18 anos - de escolas públicas e privadas, e tem como tema “Construindo novas histórias para meninas e meninos: quando relacionamentos se tornam abusivos, como perceber e mudar isso?”.

Segundo dados do DataSUS de Mortalidade, Ministério da Saúde e UNICEF, entre as chamadas causas externas, agressões, bullying, suicídio e estupro são as maiores causas das mortes dos adolescentes e jovens. Segundo pesquisa da Unicef no Brasil, 43% de meninos e meninas do 6º ano (11 e 12 anos) disseram que sofreram bullying nos últimos meses. Além disso, segundo o 13º Anuário do Fórum de Segurança Pública 2019, mostra que 4 meninas, de até 13 anos, são estupradas por hora no Brasil. Esses dados alertam para a necessidade de uma ação integrada para lidar com esse problema.

O concurso, idealizado pela Secretaria da Mulher, tem como principal proposta incentivar a discussão sobre a violência entre os(as) jovens de diferentes comunidades e grupos sociais e este ano propõe a utilização do recurso audiovisual como ferramenta para trabalhar o tema. Mafoane Odara, gerente do Instituto Avon, acredita que “um mundo onde homens e mulheres convivam de maneira harmoniosa e pacífica é construído desde a infância e reforçado na juventude, por meio do exemplo e do ensinamento de valores que reforcem a cultura de respeito e valorização das diferenças e que fortaleçam a autoestima e a igualdade de oportunidades para adolescentes e jovens meninos e meninas”.

A opção pelos vídeos curtos tem o intuito de ampliar o conhecimento do conteúdo da Lei, que é o maior mecanismo de proteção às mulheres, além de proporcionar aos jovens a reflexão quanto ao seu papel nas mudanças positivas de comportamentos e o respeito à integridade física e psicológica das meninas de hoje e das mulheres de amanhã.

Uma comissão julgadora fará a seleção de até 5 vídeos para cada região do país, que serão disponibilizados na página oficial do Concurso no Facebook, para votação pública. Por fim, serão premiados cinco vídeos, representando cada região (Norte, Sul, Nordeste, Sudoeste e Centro-Oeste).

Os premiados receberão uma bolsa para uma formação e treinamento sobre produção de documentário e um curso em segurança online, sobre como usar as plataformas digitais de forma responsável. Além disso, os alunos vencedores e professor(es/as) orientador(es/as) ganharão um tablet cada um e também as passagens aéreas de ida e volta e hospedagem em Brasília (DF) para a entrega da premiação e para participação nos cursos.

“É urgente que sociedade civil, organizações privadas e públicas, se unam para ampliação do debate sobre às questões das violências contra mulheres e meninas, e conversem também com os jovens, que estão em fase de amadurecimento de seus conceitos e valores, para que possamos transformar modelos mentais que sustentam a realidade de violência e impendem mulheres e meninas de viverem uma vida plena e segura”, explica a diretora executiva do Instituto Avon, Daniela Grelin.

O período de inscrição dos vídeos vai de 18/09 à 18/10, neste link.