Faculdade Cesusc sedia Jessup Brazil 2019 nesta semana

18 de Fevereiro de 2019

Etapa nacional da maior competição acadêmica de Direito do mundo reunirá centenas de estudantes de todo o País

Foto: Divulgação

Entre 20 e 23 de fevereiro, a Faculdade Cesusc será o palco do Jessup Brazil 2019, etapa nacional da Philip C. Jessup International Law Moot Court Competition. O evento é a maior competição de corte simulada do mundo e conta com a participação de estudantes de mais de 700 faculdades de Direito.

A disputa consiste na simulação de um julgamento na Corte Internacional de Justiça, órgão judicial das Nações Unidas, na qual as equipes formadas pelos alunos atuam em um caso fictício que contempla importantes e complexas questões de Direito Internacional. Nesta 60ª edição, o Jessup 2019 terá o seguinte caso a ser debatido: “The Case Concerning the Kayleff Yak”, que envolve temas como apropriação de conhecimento tradicional para fins comerciais, direito ambiental internacional e responsabilização dos Estados.

De acordo com o professor Paulo Potiara, do núcleo de Pesquisa em Direito Internacional da Faculdade Cesusc e coordenador do evento - "Os assuntos são bastante complexos e envolvem questões fundamentais do Direito Internacional e de responsabilidade dos estados em casos de práticas de ações ilegais no plano internacional. As equipes trabalham com a construção de dois memorias de acordo com os interesses de cada um dos dois países representados no case".

Após os alunos se inscreverem, cada universidade selecionou um time formado por até cinco estudantes para representá-la. Essa equipe vai participar das rodadas, duelos sucessivos em que dois grupos de instituições distintas de ensino disputam o melhor desempenho na defesa dos interesses dos respectivos países. Cada time competirá quatro vezes, duas como aplicant, que corresponderia ao autor da ação, e duas como respondent, que equivaleria ao réu. Três juízes, um búlgaro, um americano e um colombiano, avaliarão a performance das equipes. 

"Uma rodada dura em média duas horas e quesitos como conteúdo, postura e argumentação jurídica são avaliados. Mas não são apenas alunos de Direito que podem participar do Jessup. Estudantes de outros cursos e de outras instituições de ensino superior podem se cadastrar como voluntários para atuar em funções como organização, recepção dos juízes, recepção dos times e também no serviço de bailiff, em que o voluntário fica responsável pelas salas de corte das rodadas. É uma excelente oportunidade para quem se interessa por direito internacional, mesmo que não estude a área jurídica" destaca Rafaela Hörmann, national administrator do Jessup no Brasil.   

Para o coordenador do evento, Paulo Potiara - "Competições como essas são essenciais. Não só para exprimir o nível de qualificação dos estudantes e o quanto esse preparo é importante, mas também pela experiência que os alunos ganham ao competir e conviver com estudantes, advogados, magistrados, professores e estudantes de diferentes partes do mundo. Para os alunos da Cesusc é a oportunidade de ver que estão em pé de igualdade com os melhores estudantes de Direito do Brasil. Não à toa, instituições como a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) tem uma cultura muito grande dentro do Jessup".