MEMÓRIA | AcontecendoAqui entrevista Orkut Büyükkökten, criador do Orkut.com e da nova rede social Hello

13 de Novembro de 2019

"Felicidade não vem do número de amigos ou seguidores que temos online", destacou Orkut.

 

 

Esta entrevusta foi publicada originariamente no AcontecendoAqui no dia 14 de junho de 2018

 

 

O engenheiro de software da Turquia Orkut Büyükkökten, criador do antigo site de relacionamento Orkut.com, concedeu uma entrevista exclusiva para o AcontecendoAqui sobre sua nova rede social, a Hello. Ex-gerente de produtos do Google, Orkut é especialista em redes sociais e nos contou sobre como funciona o aplicativo Hello; as semelhanças e diferenças com o Orkut; como estão sendo planejadas e realizadas as ações de divulgação da rede social; como a rede busca reduzir e evitar a disseminação de fake news; modelo de negócios; e ainda, números e como o Hello lida com o ódio e a vaidade na rede social.

 

Confira o vídeo enviado por Orkut aos leitores do AcontecendoAqui e logo abaixo sua entrevista. 

 

 


 

 

AcontecendoAqui - O Orkut foi a principal rede social do Brasil. Você pode nos contar algumas das lições aprendidas com essa experiência e que você usou no Hello?

Orkut Buyukkokten - O recurso mais popular e amado no orkut.com foi o 'Comunidades'. As comunidades ofereciam um local seguro onde os usuários podiam se reunir em torno de coisas pelas quais são apaixonados. Também forneceu um meio para as pessoas compartilharem seus sentimentos, pensamentos e opiniões genuínas. Muitas das conexões começaram naturalmente pela participação nas comunidades. Nós construímos a experiência inteira do Hello ao redor de Comunidades.

As redes sociais de hoje não nos conectam uns aos outros da maneira como nos conectamos na vida real, em torno de coisas e interesses pelos quais somos apaixonados. Criamos o Hello para permitir a criação de conexões significativas sobre nossas paixões. Quando as pessoas se conectam, algo mágico acontece. Você faz novos amigos, encontra amor, consegue um emprego melhor. O Orkut aproximou o mundo criando milhões de conexões mágicas e continuamos essa tradição com o Hello.

Também aprendemos que é importante projetar e construir a arquitetura e a infraestrutura que podem ser dimensionadas no caso de você atingir um ponto de inflexão e crescer exponencialmente. No entanto, ao longo dos anos, os avanços em algoritmos, serviços e computação em nuvem tornaram o dimensionamento muito mais fácil.

AAqui - Quais são as semelhanças e as diferenças entre o Hello e o Orkut?

Orkut B. - O orkut.com foi criado em uma época em que as pessoas acessavam on-line principalmente por meio de navegadores e desktops. A maior parte do uso on-line, como pesquisa, compras, notícias, vídeo e acesso às mídias sociais migrou para o mobile na última década. Construímos o Hello como uma primeira experiência móvel.

Aprimoramos a experiência da Comunidade no orkut.com fornecendo um conjunto de categorias de interesse que as pessoas podem participar, chamado Personas no Hello. Quando os usuários se inscrevem, eles podem selecionar até 5 Personas de uma lista de mais de cem, como Viajante, Foodie, Fã de Futebol, Amante de Cachorro, Fã de Música. Nós personalizamos toda a experiência em torno dos interesses dos usuários. Nós tornamos as Comunidades no Hello ainda melhores, introduzindo Personas. Os usuários podem criar comunidades como no orkut nas personas. Isso torna todo o conteúdo organizado e fácil de explorar.

AAqui - 38% dos usuários do Hello são do Brasil e 20% da Índia. Você pode comentar sobre esses dois países?

Orkut B. - A maioria dos nossos usuários está no Brasil e acabamos de lançar na Índia. Ambos os países tinham uma comunidade incrível no orkut.com. Eles têm uma cultura que é muito amigável, com os pés no chão e acolhedora. Valores sociais e união são uma parte do tecido social. Eles também são pioneiros e empolgados em experimentar novas tecnologias. Estas são algumas das razões pelas quais começamos com o Brasil e a Índia.

AAqui - Como o Hello planeja ganhar novos usuários?

Orkut B. - No passado, ganhamos principalmente novos usuários por meio do boca a boca. Tem sido orgânico. Recentemente, iniciamos mais iniciativas de marketing com eventos e imprensa. Por exemplo, para o lançamento na Índia, passamos três semanas no local para aumentar a conscientização e promover o Hello. Estamos planejando ir para o Brasil em breve. Eu não posso esperar para voltar lá, eu tive tantas lembranças incríveis da minha última visita.

AAqui - Como o Hello policia para reduzir e evitar a disseminação de notícias falsas?

Orkut B. - Nós temos um sistema de reputação que chamamos de Karma no Hello. À medida que os usuários interagem com o conteúdo e outros usuários, acompanhamos sua reputação. Quando os usuários publicam conteúdo no Hello, o algoritmo de distribuição leva em conta a reputação do usuário. Como resultado, notícias falsas não ocorrem porque um usuário que está tentando espalhar notícias falsas não teria a reputação necessária. Isso é muito parecido com o que acontece na vida real. Você inicialmente não confiaria em um estranho, mas ao passar mais tempo com eles, você se torna amigo e constrói a confiança. Nós espelhamos as melhores experiências da vida no Hello.

AAqui - Em um mundo cheio de redes sociais, em um cenário em que os adolescentes se sentem solitários e isolados, como o Hello lida com o ódio e a vaidade na rede social?

Orkut B. - Infelizmente, os adolescentes compartilham on-line o que eles acham que o mundo quer ver neles, em vez de quem eles realmente são. Seus feeds estão cheios de momentos perfeitamente orquestrados e filtrados. Quando os adolescentes checam seus feeds nas redes sociais, eles sentem que seus amigos estão se divertindo mais, passando mais férias, comendo em restaurantes mais chiques e se divertindo mais. Como resultado, eles sentem que nunca podem corresponder e serem suficientes. Esses sentimentos promovem uma atitude de comparação e desespero. Isso cria muita insegurança, infelicidade e isolamento. Felicidade não vem do número de amigos ou seguidores que temos on-line. Vem de ter interações reais e genuínas com as pessoas ao nosso redor e compartilhar algo emocionalmente significativo. O risco está no centro disso. Os adolescentes hoje pararam de assumir riscos on-line e até mesmo off-line porque têm medo de desaprovação e rejeição. Nós construímos o Hello em torno de amizade, felicidade e amor. Nós projetamos toda a experiência para promover valores como união, empatia e bondade. Por exemplo, quando as pessoas gostam do seu conteúdo, não mostramos quem gosta de suas postagens e, como resultado, as pessoas não ficam ansiosas por seus amigos não curtirem o conteúdo postado e os amigos não têm pressão social para gostar de conteúdo. Nós também não temos filtros de fotos. Os filtros muitas vezes criam uma ilusão em nossa vida cotidiana. A raiva e o ódio não têm lugar em uma rede que promove o amor e a união.

AAqui - O que é diferente ou novo no modelo de negócios?

Orkut B. - Temos um modelo de objeto do sistema que incorpora moeda virtual. Os usuários podem gastar moedas de Hello para acessar recursos e desbloquear mais conteúdo. Nós incorporamos um sistema de pagamento que ajuda a equilibrar o ecossistema. Por exemplo, os usuários podem gastar moedas para postar ou comentar anonimamente no Hello. Como a criação de conteúdo anônimo custa moedas, os usuários não usam esse recurso para espalhar raiva, ódio ou fazer bullying. Todos nós temos marcas que amamos, somos muito apaixonados e fazem parte de nossas vidas cotidianas. Nós vamos introduzir marcas e publicidade para o Hello no futuro para melhorar as experiências.

AAqui - Você pode nos dar números atualizados do Hello em todo o mundo?

Orkut B. - Temos cerca de 1 milhão de usuários em todo o mundo. A maioria da nossa base de usuários é no Brasil.

N. E. Esta entrevista foi possível graças ao apoio da HUG Comunicação, assessoria de imprensa da Hello.