Copa América | Entidades repudiam possibilidade de investigação em emissoras de TV

10 de Junho de 2021

Investigação nas emissoras detentoras dos direitos de transmissão representaria violação à liberdade de programação das emissoras

A Copa América, provavelmente, superou nesta semana a presença na mídia de temas como CPI do Senado, Pandemia, Eliminatórias da Copa e outros assuntos relevantes para os brasileiros. Por que? Porque sua realização no Brasil, depois de a Colômbia e a Argentina terem desistido do evento, recebeu aprovação da CBF e aval do Governo Federal gerando um sem fim de opiniões contrárias à sua realização em solo brasileiro. O assunto está nesta quinta-feira, 10 de junho, em análise no STF que tem atè às 23h59 para dar seu veredito.

Para entender o assunto
Trouxemos duas notícias que ampliam o entendimento para essa ação que motivou as notas de repúdio que reproduziremos logo abaixo:

MP investiga CBF, TV e empresas ligadas à Copa América por violar direito à vida

Procuradoria pede investigação contra CBF e Copa América

 

Entidades repudiam
Em nota oficial distribuída nesta tarde a ACAERT escreveu: "A Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão – ACAERT endossa manifestação da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão - Abert que repudia a possibilidade de investigação de emissoras de TV detentoras dos direitos de transmissão dos jogos da Copa América.

Tal ato representaria uma inexplicável violação à liberdade de programação das emissoras, que não são organizadoras do evento esportivo. A ACAERT apoia o argumento que as emissoras de TV estão cumprindo o dever constitucional dos veículos de comunicação social de levar cultura e entretenimento para a população, de maneira livre, aberta e gratuita.

Ao mesmo tempo em que reconhece a atuação do Ministério Público Federal em fiscalizar e manter a ordem pública, no sentido de evitar atos que possam causar riscos ao combate da pandemia da covid-19 no país.

É necessário, no entanto, o entendimento do MPF sobre a exata participação das emissoras quem detêm os direitos de transmissão da Copa América. Desta forma, todos os direitos constitucionais serão reconhecidos e preservados.

Silvano Silva
Presidente ACAERT"

Notícias Relacionadas