ARTIGO | Limites na educação infantil 

13 de Junho de 2019

As famílias precisam utilizar comandos significativos para as crianças


 

Independente da idade dos filhos, pode-se dizer que é praticamente certo que todas as famílias passarão por situações conflitantes na orientação das crianças. Dizer não, tolher ações inadequadas, argumentar diante do choro, gritos e birras gera muita ansiedade entre pais e filhos, principalmente entre os mais jovens e pouco experientes.

 

As famílias precisam utilizar comandos significativos para as crianças, pois em nada ajuda usar expressões que elas não entendam. Quando os pais dizem “você precisa ser bonzinho” é necessário parar e refletir sobre o que é ser bonzinho? Será que a criança entende tal expressão?

 

Também é importante ter firmeza ao falar com os filhos e firmeza não envolve gritos e nem ameaças, envolve entendimento da atitude praticada com um olhar de quem não aprovou o que aconteceu. Quando for explicar algo, procure ser objetivo e sempre dê opções para que elas possam resolver da melhor maneira as situações apresentadas. Ao utilizar atitudes e falas positivas, os pais fazem com que os filhos entendam mais facilmente o que deve ser feito. Também é importante lembrar que não se deve reforçar o que eles fizeram de errado.

 

Outro ponto que merece destaque  é com relação as regras. Tudo o que for combinado com a criança tem de ter o entendimento do interessado, pois quando as regras não são claras e os motivos não são explicados ela pode não obedecer. As causas das ações dos pais devem ser explicadas de maneira que os filhos entendam e saibam como agir.

 

Quando falamos em limites na educação infantil, devemos estar atentos e buscar o maior controle possível das emoções. Os pais são os adultos nas relações afetivas, emocionais e no direcionamento das atitudes infantis. À medida que as famílias compreenderem que as crianças passam por várias fases na infância e que cada uma delas tem as suas especificidades, as relações familiares melhoram e elas ficam mais tranquilas. É como aquela regra da causa e efeito, toda ação reflete em uma reação e nessas situações o equilíbrio e a compreensão são a chave para a harmonia familiar.

 

Rosemere Linhares
Pedagoga Especialista em Educação Infantil e Séries Iniciais

Foto: Divulgação Energia