ARTIGO | Jornal ND: 15 anos de sucesso, por Marcello Petrelli

20 de Agosto de 2021

"Migramos nosso conteúdo para o ND+, hoje o maior portal de notícias de Santa Catarina, líder em audiência."

 

Neste mês comemoramos os 15 anos do jornal ND, o único diário da Capital e o maior de Santa Catarina, em meio a um mundo totalmente conectado e desacreditando estudiosos da mídia que afirmavam que o meio impresso não sobreviveria ao impacto do meio digital. Continuamos acreditando que os jornais sobreviverão enquanto houver leitores que preferem ler notícias impressas no papel. Mais de 2 bilhões de adultos leem jornais impressos todos os dias ao redor do mundo, segundo pesquisa do Word Press Trend Report.

É claro que o velho hábito de ler jornais pela manhã, na hora do café, está mudando porque consumo de notícias mudou. Mas os jornais evoluíram também e se adaptaram aos novos tempos. Nós fizemos a lição de casa do ND e migramos nosso conteúdo para o ND+, hoje o maior portal de notícias de Santa Catarina, líder em audiência. O impresso foi base e caminho
para a construção do nosso portal na internet.

Muitos jornais despareceram nos últimos anos porque não conseguiram se adaptar aos novos tempos, perderam conexão com seu público ou não conseguiram acompanhar a revolução digital. Porém, a tecnologia tem sido um grande aliado dos veículos de comunicação, uma oportunidade para novos modelos de negócio. A informação é a nossa matéria-prima e nunca o consumo foi tão alto. Porém, o consumo se dá em razão do serviço prestado.

Neste universo multiplataforma, com informação disponível em tempo real, o conteúdo tem de ser relevante, tem de ter propósito, tem de ter valor. Este é o grande desafio dos veículos, principalmente dos jornais que sofrem o impacto direto de outros meios. É preciso valorizar os meios, mas o conteúdo precisa ser competente.

Continuo acreditando que a internet não é um veículo, mas um meio, nunca foi um concorrente para os veículos tradicionais, que na verdade são essenciais. São os jornais, principalmente, os grandes pauteiros dos portais de internet, das emissoras de rádio e das redes sociais. Os grandes produtores de notícias continuam sendo os veículos da mídia tradicional.

Os veículos, principalmente os impressos, demoraram para enxergar esta realidade, porque encaravam as novas mídias como concorrente, não como aliadas. Perdemos mais de uma década brigando com a internet e seus derivados. As novas mídias nos obrigaram a rever nossos modelos de negócio. De repente, as grandes plataformas de streaming, o Facebook e o Google passaram a ser nossos concorrentes. Milhões de dólares em publicidade são canalizados para estas novas plataformas.

A competitividade nos obrigou a mudar, porém, mantemos nossos ativos, que são a presença regional, a competência, a capacidade de ouvir nossos clientes e a simplicidade no relacionamento. Mas, principalmente, colocar o jornal a serviço da sociedade, como um legítimo porta-voz da população, com total independência editorial.

Apesar deste cenário desafiador, continuamos acreditando na força e importância do jornal impresso. Por isso o ND merece todas a homenagens ao completar 15 anos oferecendo um presente para seus leitores: 15 cadernos sobre temas diversos com uma visão do impacto destes assuntos na vida das pessoas num futuro muito breve. Esta superedição, com grande participação de clientes e anunciantes, nos faz acreditar que o ND tem vida longa. São 15 anos de sucesso sempre em favor dos leitores da Grande Florianópolis.

*Marcello Corrêa Petrelli, presidente executivo do Grupo ND

Notícias Relacionadas