Publicidade
Relatório de Tendências da Ford mostra um consumidor mais preocupado com qualidade de vida
18 de Março de 2024

Relatório de Tendências da Ford mostra um consumidor mais preocupado com qualidade de vida

De acordo com a pesquisa, 52% das pessoas empregadas em todo o mundo aceitariam reduzir em 20% o salário para ter maior qualidade de vida.

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook
Por Cristiane Soethe 18 de Março de 2024 | Atualizado 18 de Março de 2024

Não há dúvidas de que estamos passando por uma mudança radical na forma como consumimos. E este é um fenômeno global. O Relatório de Tendências 2024 da Ford, que abrangeu 16 países, incluindo o Brasil, revela que as pessoas estão dando mais prioridade ao bem-estar e experiências significativas. Quer um exemplo? De acordo com a pesquisa, 52% das pessoas empregadas em todo o mundo aceitariam reduzir em 20% o salário para ter maior qualidade de vida. Uma tendência predominante é a escolha intencional, com 77% dos adultos globalmente concordando que priorizar a si mesmos proporciona estabilidade em um mundo imprevisível. À medida que avançamos para uma era impulsionada pela inteligência artificial (IA), há uma esperança crescente de que essa tecnologia possa aliviar o fardo do dia a dia, permitindo que as pessoas se concentrem em atividades mais gratificantes.

Nessa busca por propósito e satisfação, as pessoas estão tomando decisões deliberadas em todas as áreas de suas vidas, desde relacionamentos até carreiras e crescimento pessoal. Priorizar a conexão humana, deixar de lado relacionamentos tóxicos e desfrutar da natureza são exemplos dessas escolhas intencionais. A desconexão das telas e o redirecionamento da energia para o autodesenvolvimento tornaram-se prioridades para muitos.

Publicidade

No ambiente de trabalho, uma reavaliação do que é realmente importante está em curso. Uma parcela significativa da força de trabalho está disposta a sacrificar parte do salário em troca de uma melhor qualidade de vida. No entanto, isso não significa uma falta de comprometimento com o trabalho, mas sim uma busca por um equilíbrio mais saudável entre vida pessoal e profissional. A esperança reside na tecnologia, com a maioria acreditando que a IA poderá melhorar esse equilíbrio e até mesmo orientá-los em suas carreiras futuras.

Estamos testemunhando uma era de transformação, onde a inteligência artificial e tecnologias como o ChatGPT estão se tornando parte integrante da vida cotidiana. Embora haja entusiasmo com as possibilidades que essas tecnologias oferecem, também há preocupações sobre seu impacto e sobre a capacidade de distinguir entre informações verdadeiras e falsas. Entre os entrevistados, 65% dizem não saber distinguir entre o que é verdadeiro e o que é falso quando leem notícias. Mais de oito em cada 10 pessoas acreditam que as empresas deveriam divulgar abertamente a sua utilização da IA.

No âmbito ambiental, há um consenso global sobre a urgência de combater as mudanças climáticas, e muitas pessoas estão ajustando seus hábitos para serem mais sustentáveis. 90% dos brasileiros afirmam que é importante combater ativamente as alterações climáticas hoje. No entanto, elas esperam que as soluções sustentáveis sejam integradas de forma transparente em suas vidas diárias, sem perturbar seu estilo de vida, sendo que 60% dos entrevistados globalmente dizem que só abraçarão iniciativas sustentáveis se o inconveniente para eles próprios for pequeno ou inexistente.

O conceito de família também está passando por mudanças significativas, com normas tradicionais sendo questionadas. Enquanto muitos ainda valorizam os papéis familiares tradicionais, há uma crescente aceitação e apoio às dinâmicas familiares não convencionais, como ter animais de estimação em vez de filhos. Entre os adultos que responderam sobre o ideal de situação familiar daqui a dez anos, 34% se vêem tendo animais de estimação e apenas 26% com crianças.  Estamos entrando em uma era onde as pessoas estão redefinindo o conceito de família, buscando criar estruturas familiares que se alinhem com seus desejos e valores individuais. Embora dois terços dos respondentes reconheçam a estabilidade oferecida pelos papéis familiares tradicionais, defendem igualmente o apoio social às dinâmicas familiares não tradicionais.

Diante dessas mudanças significativas no comportamento de consumo, os profissionais de comunicação e marketing devem estar atentos e adaptar suas estratégias para atender às necessidades e expectativas dos consumidores contemporâneos. É essencial compreender profundamente os valores, aspirações e preocupações do público-alvo para criar mensagens e campanhas que ressoem genuinamente com os consumidores, demonstrando como seus produtos ou serviços podem agregar valor às suas vidas e satisfazer suas necessidades de qualidade de vida e experiências significativas. Os consumidores estão cada vez mais atraídos por marcas autênticas que demonstram um propósito além do lucro. As empresas devem comunicar claramente seus valores e compromissos com questões importantes, como sustentabilidade, responsabilidade social e bem-estar dos funcionários. Isso não apenas atrairá consumidores conscientes, mas também aumentará a fidelidade à marca.

À medida que a inteligência artificial e outras tecnologias continuam a desempenhar um papel significativo na vida das pessoas, os profissionais de marketing devem garantir que sua utilização seja ética e transparente. Isso envolve proteger a privacidade dos consumidores, divulgar abertamente o uso de tecnologias como IA e garantir que as interações digitais sejam significativas. O ambiente de consumo está em constante evolução, e os profissionais de marketing devem ser ágeis e adaptáveis ​​para acompanhar essas mudanças. Isso requer uma mentalidade aberta à experimentação e aprendizado contínuo, buscando sempre compreender e antecipar as próximas tendências e necessidades dos consumidores.

Para ter acesso ao Relatório de Tendências 2024 da Ford clique aqui.

Para mais conteúdos sobre marketing e comportamento de consumo, acesse meu Linkedin.

 

*Imagens ilustrativas: CanvaPro.

Publicidade
Publicidade