Quais são as tendências na busca orgânica para 2018?

17 de Janeiro de 2018

Rand Fishkin, Wizard do Moz, considerado um dos mais respeitáveis profissionais de SEO no mundo digital realizou nesta quarta-feira, 08/11, um seminário no Web Summit e compartilhou seus insights sobre as tendências orgânicas para 2018.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Jump Shot, revelou-se que o Google detém atualmente mais de 60% de todo o tráfego gerado na Web. “Google continua dominando cada vez mais o espaço digital. É um absurdo como o seu crescimento continua avançando e evoluindo”, declarou Rand.

Veja o gráfico comparativo sobre a distribuição de tráfego online em 2016 e 2017

A plateia presente no pavilhão PandaConf ficou surpresa em saber também que apenas 2% dos cliques gerados no Google são através dos anúncios pagos e que mais de 40% são gerados para os links orgânicos.  E para onde vão os outros 50%? De acordo com Rand Fishkin, um dos desafios do Google é atender a mais da metade das visitas que não geram cliques e por isso a empresa continua testando e apresentando novos formatos de display.

Featured Snippers é uma das soluções do Google para ter a credibilidade do usuário

Featured Snippers são as respostas automáticas que o Google gera no topo da busca para várias perguntas realizadas por usuário na Web.  Com a criação das Featured Snippers, a empresa perde milhões de dólares, já que o usuário tem a tendência a encontrar a resposta nela ao invés de clicar num anúncio patrocinado. Mas isso por um lado é bom já que a empresa tem como objetivo satisfazer a pesquisa do usuário no próprio Google. “Quanto mais respostas o Google produzir, será menor o número de usuários que irão buscar outros caminhos” mencionou Rand.

A apresentação teve a continuação com uma pequena amostra sobre as principais tendências em SEO para 2018 e que as empresas que buscam aumentar seu tráfego orgânico precisam focar nisso.

 

Principais tendências de SEO para 2018 

1)    Produza conteúdo. Foque em textos de qualidade e que gere respostas de acordo com os interesses dos consumidores
2)    Construa links. Foque em links editorias e que venham de sites muito qualificados com um alto domínio de autoridade (DA) 
3)    Produza respostas. Procure resolver as questões dos usuários através do conteúdo produzido pelo seu site. 
4)    Palavras-chaves. Utilize ferramentas de palavras-chaves com inteligência para melhorar o seu ranking e também o CTR nas ferramentas de buscas
5)    Domínio. Domínios geram sinais de qualidade e valor. Domínios fortes normalmente possui uma força adicional para melhorar sua performance nas buscas
6)    Experiência do usuário. Google quer ver se você consegue oferece um conteúdo de qualidade, em diferentes dispositivos e com boa velocidade, sem impedimentos. 
7)    Técnico & Crawler. Velocidade e acessibilidade na infraestrutura do seu portal para que os motores de busca reconheçam o seu site também é muito importante.  
8)    Personalização. Localização, dispositivos, história de pesquisa e tempo de busca pode contribuir significativamente na mudança dos resultados nas ferramentas de busca. 

Este post contou com a colaboração de Guilherme da Luz, Publicitário e Sênior Digital Manager & SEO na empresa Quinstreet (Nasdaq: QNST) 
 

Guilherme da Luz

  • imagem de gluz
    Guilherme da Luz é especialista em Organic Search pela Quinstreet Brasil (Nasdaq: QNST). Com 15 anos de experiência de mercado, já trabalhou com algumas das maiores marcas que atuam online e offline, incluindo Google, Microsoft, Benetton, BBC, Avon, Heineken, Mars, Jaguar, Sotheby’s, entre outras. Tem contribuído na adaptação de campanhas publicitárias internacionais para o Brasil (Transcreation), além de estar sempre encontrando oportunidades para atrair, envolver e converter público-alvos através da busca orgânica. Seguroauto.org, Planodesaude.net e Emprestimo.org são alguns de seus trabalhos que se destacam no topo das pesquisas no Google, em mercados extremamente competitivos.

Notícias Relacionadas