Coluna Cristiano Chaussard | Comunicação na era da informação

23 de Abril de 2021

A dificuldade de comunicação pode levar à incompreensão do outro e a conflitos nefastos, como ensina a História. 

 

Comunicação é um dos fenômenos mais relevantes na existência dos seres vivos. Nos humanos, ela é a base dos processos de compartilhamento da vida interior que nos levaram a ser o que somos hoje: animais sociais, que criam cultura, desenvolvem tecnologias e especulam sobre os limites do universo. 

Não é exagero dizer que a capacidade de se expressar e de compreender a expressão do outro tem sido fundamental para a nossa sobrevivência como espécie. Comunicar-se foi (e é) pré-requisito para o desenvolvimento da agricultura, comércio, indústria, arte e conhecimento científico. Em contraponto, a dificuldade de comunicação pode levar à incompreensão do outro e a conflitos nefastos, como ensina a História. 

A palavra vem do latim communis, comum, que remete à ideia de comunhão e comunidade. Quando os primeiros humanos aprenderam a associar sons e gestos a determinados objetos ou ações, nasceram os signos. Esses, por sua vez, combinados de forma ordenada, deram origem à linguagem oral e escrita.

Nessa trajetória evolutiva, um dos marcos mais notáveis ocorreu entre 1438 e 1440, quando o alemão Johann Gutenberg aperfeiçoou os tipos móveis criados pelos chineses. O sistema de prensa tipográfica possibilitou a produção de livros em larga escala, levando à democratização do conhecimento e à disseminação de informações (PERLES, 2007).

Outros impactos transformadores se deram nos séculos XIX e XX com a invenção do telégrafo, do rádio, da televisão, das transmissões via satélite, do computador e da internet, como já vimos. Vive-se hoje na chamada sociedade da informação, um mundo em permanente mudança, em que o fluxo de informações é intenso e no qual não existem barreiras de tempo nem de espaço para que as pessoas se comuniquem. 

De acordo com o sociólogo espanhol Manuel Castells (2002 apud COUTINHO e LISBÔA, 2011, p. 7; RUIZ, 2012), essas são as principais características do novo paradigma: 

1. A informação como matéria-prima - Existe uma relação simbiótica entre a tecnologia e a informação, isto é, uma complementa a outra; 

2. Capacidade de penetração dos efeitos das novas tecnologias - Os meios tecnológicos exercem poder de influência na vida social, econômica e política; 

3. Lógica de redes - Graças às recentes tecnologias da informação, essa característica facilita a interação entre as pessoas, podendo ser implementada em todos os tipos de processos e organizações; 

4. Flexibilidade - As informações podem ser reconfiguradas, alteradas e reorganizadas; 

5. Convergência de tecnologias específicas para um sistema altamente integrado - Todos os utilizadores podem exercer um papel ativo na produção do conhecimento. Pela primeira vez na história, a mente humana é uma força produtiva direta e não apenas um elemento decisivo do sistema de informação. 

Este texto não tem a pretensão nem o espaço suficiente para se aprofundar na complexidade do tema, ao qual Castells dedicou doze anos de trabalho e quase 1.500 páginas em seu livro “A era da informação''. Porém, vale destacar a convergência entre essas características e as atividades relacionadas ao comércio eletrônico. 

Por fim, levar em conta o papel ativo que todos os utilizadores de TIC têm na produção do conhecimento é fundamental para se comunicar de maneira adequada com o público de interesse. Neste novo mundo em gestação, o marketing de massa abre espaço cada vez mais para o relacionamento personalizado, em que o diálogo é vital.

Percebeu como a divulgação é apenas uma parte - nada desprezível, diga-se - de um processo comunicativo bem mais amplo? Se você pretende desenvolver um negócio bem sucedido na internet, é inevitável que suas ações de marketing foquem no novo perfil de consumidor: conectado e bem informado, empoderado e volúvel, pois tem consciência de que suas opções de escolha estão literalmente na ponta dos dedos. 

Mais que informar o cliente em potencial sobre seus produtos e serviços, é preciso encantá-lo e saber ouvi-lo. Para isso, é preciso conhecê-lo cada vez melhor e estar preparado para recebê-lo em sua “casa”. 

Cristiano Chaussard

  • imagem de crischau
    Cristiano Chaussard é especialista em e-commerce, empresário proprietário da Flexy Negócios Digitais , exerce função voluntária como diretor de expansão e associados ADVB-SC (2009-2016). Um dos fundadores do Grupo Digital de Santa Catarina, leciona Marketing e Comércio Online na Pós-Graduação da Universidade Estácio de Sá. Pós-graduado em Tecnologia pela USP, MBA em Gestão do Conhecimento e Inovação pela USP e Pós-graduando em Marketing Estratégico pela ESPM. Escreve semanalmente no Portal AcontecendoAqui. Para contato com o colunista acesse: Twitter - @cristianojoyer Facebook - http://www.facebook.com/cristianochaussard Linkedin - http://br.linkedin.com/in/cristianochaussard Sobre o colunista - http://about.me/cristianochaussard

Notícias Relacionadas