Coluna Ozinil Martins | As mudanças estão acontecendo!

12 de Junho de 2019

Há datas que não podem ser esquecidas. 04 de junho de 1999 é uma delas

Quanto mais tempo passamos em frente a telas de smartphones e computadores, maior o risco de desenvolver miopia. A Organização Mundial da Saúde estima que cerca de 30% da população mundial sofra com o problema e que este número deverá chegar aos 50% nos próximos anos em consequência dos novos hábitos adquiridos. Mas, o Centro Médico Shaare Zedek e o Instituto de Nanotecnologia e Materiais Avançados da Universidade Bar-Ilan de Israel trabalham para eliminar o problema com o desenvolvimento de um colírio capaz de reparar as córneas e melhorar os problemas de visão das pessoas. O produto já está em fase de testes em animais e os resultados atingidos mostram consistente redução da doença. Testes em humanos serão realizados ainda este ano. O interessante é que a aplicação do colírio será controlada por meio de aplicativo instalado em um smartphone. O importante na notícia não é a eliminação da miopia de forma definitiva, mas a eliminação de todo um segmento de negócio. O que acontecerá com as óticas e seus operadores? Esta pergunta, de ora em diante, será constante para vários segmentos de negócio que desaparecerão de forma abrupta, atropelados que serão pelas novas tecnologias. O desenvolvimento de pesquisas em relação às roupas que não necessitariam mais ser lavadas também está caminhando. Enfim, são as mudanças alterando fortemente nossa forma de viver. E, em Terra Brasilis, continuaremos discutindo se somos de esquerda ou de direita, gênero e sendo chantageados pelo Centrão. O caminho para o atraso somos nós que criamos!

 

Massacre na Praça da Paz Celestial!

Há datas que não podem ser esquecidas. 04 de junho de 1999 é uma delas. Neste dia, estudantes e pessoas que queriam usufruir de liberdade, foram reprimidas por forças de segurança da China de forma violenta; contra jovens desarmados o governo chinês enviou pesados tanques de guerra e soldados armados com armas letais. Sim! O movimento foi reprimido e até hoje não se sabe o número de vítimas; presume-se que tenham sido milhares. Todos os arquivos que continham informações sobre a revolta dos estudantes foram suprimidos; não há, na China, nenhuma referência ao ocorrido. A imagem que viralizou e é conhecida no mundo é a do estudante, jovem e inerme, que impediu a progressão de uma coluna de tanques apenas parando em sua frente e, depois subindo no carro de guerra, que capitaneava a coluna, para entregar algo ao comandante. Por que a data não pode ser esquecida? A China é hoje a segunda economia mundial, só ficando atrás dos Estados Unidos. Sua versão de capitalismo controlado pelo Estado funcionou, mas a vida dos chineses ainda é controlada pela mão pesada do Estado. Lá, só há um partido político e o poder sobre as pessoas é absoluto. As manifestações ocorridas na última terça feira em Hong Kong e Taiwan mostram que a liberdade e economia podem conviver sem nenhum problema. Hong Kong depois de 100 anos sendo Protetorado da Inglaterra voltou ao domínio chinês, mas mantendo suas características econômicas e liberdades individuais e a pequena Taiwan, enfrenta seu vizinho gigante, do qual se separou em 1949, de forma democrática e humana. Referenciar a data é o mínimo que as pessoas que acreditam em democracia podem fazer!

 

05 de junho: Dia Mundial do Meio Ambiente!

O que há para comemorar no Mês Mundial do Meio Ambiente? Penso que muito pouco há a ser comemorado. O último relatório divulgado pela ONU sobre o meio ambiente é devastador. Comprometimento no abastecimento de água, exaustão no fornecimento de matérias primas, eliminação de espécies da flora e da fauna em velocidade nunca vista, crescimento acelerado da população mundial nos países mais pobres, desestabilização política em várias partes do mundo e aceleração do consumo são alguns dos problemas que devem ser considerados inicialmente. Quem acompanha esta coluna sabe que a abordagem sobre o meio ambiente é, quase que semanal, porque entendo que a geração atual comete estelionato com as novas gerações na medida do consumo exagerado e da pouca responsabilidade com o futuro. O ponto de interrogação se instala quando se pergunta: como vamos conscientizar 8 bilhões de habitantes, em sua grande maioria com educação precária e, preocupados com sua sobrevivência diária, em relação à preservação do meio ambiente? O caminho é a educação das crianças, que serão as grandes vítimas da degradação ambiental e, este embrião começou a surgir na Europa na figura de Greta Thumberg, a adolescente sueca, que percebeu que se não pressionar as autoridades, nada acontecerá. Autoridades que se alimentam muito bem, que trabalham em ambientes climatizados, vivem cercados de mordomias nem pensam sobre o assunto, pois entendem que a solução virá ao natural. Chegou a hora de nossas crianças acordarem e saírem às ruas para pressionar as autoridades e exigir a melhoria do meio ambiente. O Junho Verde é para isso! Não é para blababá! Quem será nossa Greta Thumberg? 

Prof. Ozinil Martins de Souza

  • imagem de ozinil
    Possui graduação em Geografia pela Fundação Universitária Regional de Joinville e pós-graduação em Educação pelo Instituto Catarinense de Pós-Graduação. Tem forte experiência na área de Administração de Recursos Humanos, Negociação Sindical, Consultoria Empresarial e Empreendedorismo e atua na área acadêmica.