Publicidade
Coluna Ozinil Martins | Ivan Petrovich Pavlov explica!
06 de Março de 2024

Coluna Ozinil Martins | Ivan Petrovich Pavlov explica!

Ivan Petrovich Pavlov, cientista russo, ganhador do prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook
Por Prof. Ozinil Martins de Souza 06 de Março de 2024 | Atualizado 06 de Março de 2024

Há uma estória transitando na internet que explica como capturar porcos selvagens sem usar de violência. Depois de descobrir a trilha pela qual transitam os animais,
escolha um local adequado para a montagem de uma armadilha e comece a depositar, sempre nas mesmas horas, uma quantidade de milho para alimentar o
bando.

Depois de certo tempo, com os animais já acostumados a sua ração diária, comece a montar a armadilha; primeiro uma parede lateral com tela resistente, depois de um
tempo coloque a outra parede e, assim até prender o bando todo em um determinado momento.

Publicidade

Ivan Petrovich Pavlov, cientista russo, ganhador do prêmio Nobel de Fisiologia eMedicina, realizando experiências com cães, conceituou o que vinha a ser o reflexo condicionado que, justamente, é conhecido como reflexo condicionado de Pavlov. Sua experiência provou que os cães salivavam ao ouvir os passos do tratador que lhes levava a comida. Lá pelos anos 60, estudante do antigo científico do Colégio Bom Jesus em Curitiba, o professor de Psicologia preparava-nos para a vida ao trabalhar conceitos como este. Penso que os alunos formados naquela época saiam mais
preparados para a vida do que os jovens de hoje com cursos superiores limitados e empobrecidos.

A segundo estória vem da Rússia e, sem provas de autenticidade, mostra-nos Joseph Stalin em um encontro com jovens partidários do socialismo. Pede ele que lhe tragam uma galinha, rica em penas e bem nutrida; isto feito, ele começa a depenar a galinha, que cacareja e de debate mas, nada pode fazer. Depois, totalmente depenada a galinha é solta e Stalin, com a mão cheia de milho, vai até ele e a alimenta. A galinha come tudo e Stalin começa a criar um carreiro de milho com a galinha seguindo-o incontinenti. Diz ele aos jovens socialistas: “Assim que se governa!” A simbologia é clara!

Assim chegamos a certo país da América do Sul e sua distribuição de benesses ao povo desnutrido e sem futuro. A distribuição de cestas auxílio condiciona boa parte da população a ser submissa ao governo de plantão. Quando se cria um benefício sem que haja porta de saída estamos condicionando o receptor à submissão. Por que não exigir do beneficiário algum esforço no sentido de qualificar-se profissionalmente visando seu ingresso no mercado de trabalho? 21,3 milhões de famílias são beneficiárias do Bolsa Família o que perfaz 56 milhões de pessoas atendidas; 25% da
população brasileira é usuária de bolsas auxílio.

Quando se olha a distribuição destas pessoas pelo país a maior concentração está no Norte e Nordeste. Vale perguntar: “se o regime federativo privilegia os Estados destas regiões com a transferência de recursos dos Estados mais ricos por que esta situação perdura desde tempos imemoriais?”

Além de criar uma população submissa ao governo de plantão, o crescimento do país é prejudicado por carregar uma carga que poderia estar atuando em áreas produtivas.

A discussão atual sobre o transporte por aplicativos mostra o interesse do governo de impedir o empreendedorismo e sua crença em um mundo do passado. Ressuscitar a legislação trabalhista de Benito Mussolini, que Getúlio Vargas importou, talvez seja o próximo passo.

Ivan Petrovich Pavlov mais vivo do que nunca!

Imagem em destaque  Mateus Andre on Freepik

Publicidade
Publicidade