Coluna Inspiração | Publicidade “In Game”

19 de Novembro de 2019

Publicidade dinâmica em jogos virtuais - ´DIGA`

 

Não é uma novidade o crescimento dos eSports nos últimos anos, hoje são mais de 453 milhões de jogadores em um mercado de mais de U$ 1,5 bilhão. Só no Brasil são mais de 21 milhões de fãs, o terceiro maior público da modalidade no mundo.

As receitas estão relacionadas a publicidade, patrocínios, vendas de ingressos, direitos autorais e licenças, grandes marcas como Coca Cola, Claro, Vivo, BMW e muitas outras já entraram para esse jogo patrocinando ligas, eventos e atletas.

Alguns games já contam com marcas “nativas” na narrativa, como os uniformes nos jogos esportivos, as marcas de carro nos jogos de corrida ou roupas em jogos de skate. Mas existe uma modalidade pouco explorada, o DIGA (Dynamic In-Game Advertising), a publicidade dinâmica em jogos.

Esses “outdoors” do vídeo game são exibidos para os jogadores enquanto jogam pela internet, portanto eles podem ser atualizados em tempo real, inclusive com segmentação geográfica (país ou região) ou por perfil (homem/mulher/hard ou soft gamer), muito semelhante a mídia display (banners)  que estamos acostumados e também pode ser metrificado utilizando o clássico CPM para cobrar as impressões.

Uma solução que só é possível graças a internet de alta velocidade e jogos com simulação de realidade cada vez mais imersivos e interativos. Podem ser placas de campo de futebol, cartazes em uma estação de metrô, outdoors pelo cenário, os formatos são os mais diversos.

Algumas regras da publicidade dinâmica em jogos:
- O tempo mínimo de exposição de um anúncio para ser cobrado é de 0,5seg ou mais.
- O anúncio deve ter no mínimo 1,5% da cobertura da tela para valer.
- O ângulo do anúncio não deve ser superior a 55 graus em relação a tela do jogo, o banner deve estar completamente no campo de visão.
- Os anúncios devem ter iluminação suficiente para possibilitar a leitura.

Uma startup londrina, a Bidstack, é uma das responsáveis por esse tipo de comercialização e desenvolvimento, eles já realizaram trabalhos em games como Fifa e Dirty Rally. A ideia é oferecer uma mídia com longo tempo de exposição (horas seguidas de jogo), com 100% de viewability (foco total) e inserindo a marca dentro de um contexto lúdico.
 

 

 

Outras marcas também já utilizaram esse tipo de publicidade. Quem iria imaginar um outdoor da Coca Cola em meio a um cenário de guerra:

Coca Cola – Campanha ´Taste the Feeling’ dentro de diversos games.

 

Essa ainda não é uma modalidade comum entre clientes e agências, mas com o crescimento dos eSports, sem dúvida é uma plataforma para estar atento.

Por curiosidade, veja também outras formas de ativar marcas dentro dos games:

Case Coca Cola – Product Placement na história do jogo.
 

 

Case Marshmello – O dia em que o DJ Marshmello reuniu 10 milhões de fãs ao vivo no jogo Fortnite.

 

Case Obama – Em 2010 o ex presidente Obama utilizou publicidade in-game em sua campanha.
 

 

E outros

 

 

 

 

 

Preste atenção a próxima vez que for jogar vídeo game!
 

 

Coluna Inspiração

  • imagem de gustavot
    Gustavo Teixeira é formado em Comunicação Social pela FAAP e com especialização em Marketing e Branding pela FGV e ESPM. Iniciou a carreira no universo digital, em portais como UOL e TERRA. Nos últimos 12 anos, atuou no Grupo ABC/Omnicom Group liderando a área de planejamento estratégico da Agência Tudo e Tracylocke Brasil. Atualmente Gustavo lidera a área de planejamento e marketing da NSC Comunicação. É responsável pelo desenvolvimento de novos produtos comerciais e planos de mídia integrados.