Coluna Inovação | Tecnologia manezinha contra desmatamento e construções irregulares vence prêmio de Cidades Inteligentes

09 de Setembro de 2021

A partir de imagens de drones e satélite, plataforma desenvolvida pela startup Horus e usada pela prefeitura de Florianópolis foi escolhida como o melhor projeto de smart cities em operação no país.

Imagem: Divulgação Horus
 

Um sistema automático que identifica obras irregulares e desmatamento tem sido a tecnologia usada pela Prefeitura de Florianópolis para resolver um dos maiores problemas ambientais e urbanos da cidade. A inovação, desenvolvida pela startup Horus Smart Detections, foi a vencedora do prêmio Connected Smart Cities, entregue durante cerimônia online, na categoria "Negócios em Operação".  

O "Monitora" faz o processamento digital de imagens de drones e informações de satélites e, integrado ao banco de dados da prefeitura, identifica regularmente onde há alterações na paisagem - e possível foco de construção irregular ou desmatamento. "O objetivo é ter informação em tempo hábil e com relevância. A partir deste case em Florianópolis, mostramos como a tecnologia pode ajudar prefeituras e instituições para monitorar grandes áreas de maneira inteligente", explica Fabrício Hertz, CEO da Horus.

Somente em 2020, foram realizados 3,3 mil voos (uma média de 250 por mês), que identificaram nas imagens em alta resolução mais de 740 pontos críticos, resultado levado aos fiscais para análise e verificação. Em 2021, foram realizados 1,8 mil voos e confirmadas 573 intervenções na paisagem - o que mostra como as ocorrências de desmatamento e irregularidades cresceram no último ano.

“A partir da imagem do satélite, um algoritmo compara a área com registros anteriores e gera uma informação de alteração de paisagem. Com isso, os fiscais têm um mapa mensal de todas as ocorrências de desmatamento e conseguem fazer um trabalho ativo. Nós antecipamos essas ocorrências em até um ano, gerando um aumento de 50% na eficácia das fiscalizações - além de reduzir problemas urbanos", calcula Hertz.

A empresa nasceu em Florianópolis, em 2014 e ganhou mercado desenvolvendo e vendendo drones para o mercado agro. Mas a demanda por soluções em outros segmentos - como o de cidades inteligentes - levou a startup a uma nova direção. Em julho passado, anunciou que deixaria de fabricar drones para focar na plataforma de software e no desenvolvimento de projetos customizados para áreas como telecomunicações, indústria 4.0 e energia. 

Realizado em parceria pela Necta, Neurônio Ativação de Negócios e Causas, e Urban Systems, o prêmio Connected Smart Cities aceita a participação de qualquer pessoa jurídica com sede no Brasil, que apresente um negócio inovador que contribua com as necessidades do cidadão.

 

Cidades catarinenses ganham destaque no ranking de conectividade

No mesmo dia em que o projeto piloto de Florianópolis foi premiado, o ranking 2021 das cidades mais conectadas do país destacou seis municípios de Santa Catarina entre as 30 primeiras colocadas. Assim como em 2020, a Capital ficou em segundo lugar, entre a líder São Paulo e a terceira colocada Curitiba. 

No 12o. lugar geral - e 4o. entre os municípios com 100 mil a 500 mil habitantes - está Balneário Camboriú, seguida entre as catarinenses por Blumenau (16o. lugar), Jaraguá do Sul (17o.), Joinville  (27o.) e Itajaí (29o.). A lista completa está disponível neste link.

Fabricio Umpierres Rodrigues

  • imagem de umpierres@gmail.com
    Fabrício Rodrigues, editor do portal SC Inova, é jornalista com especialização em Gestão Empresarial. Atuou durante 12 anos como coordenador em agências de assessoria de imprensa (Dialetto e PalavraCom), foi repórter em jornais como Gazeta Mercantil SC, A Notícia e Folha de S. Paulo e editor de sites de cultura desde os tempos da Internet discada. www.scinova.com.br / E-mail: scinova@scinova.com.br

Notícias Relacionadas