Coluna Inovação: SC vai da decepção no Startup Awards à euforia com pesquisa da ABStartups

03 de Novembro de 2017

A comunidade de startups de Santa Catarina terminou a última semana decepcionada. As expectativas eram altas para o Startup Awards, o prêmio máximo do ecossistema nacional, promovido pela Associação Brasileira de Startups que no ano passado, por meio de votação popular, consagrou os catarinenses com três prêmios. 

Na quinta (26) e sexta (27), empreendedores, mentores, investidores e gestores de entidades locais foram em peso para São Paulo acompanhar o CASE, evento da ABStartups que encerrou com a entrega dos prêmios. Mas neste ano, concorrendo como finalista em três categorias, Santa Catarina acabou sem títulos.

O desapontamento, porém, durou pouco. Na segunda-feira (30), uma pesquisa apresentada naquele mesmo CASE e publicada no jornal O Estado de S. Paulo, colocou Santa Catarina, proporcionalmente, como o maior celeiro de startups do Brasil. A pesquisa envolveu mais de mil startups e mostrou, em síntese, que: 

. No ranking de cidades, Florianópolis é líder absoluta em número de startups, com densidade 10 vezes maior que São Paulo, por exemplo (que ficou na 15a posição); 

. O estado de Santa Catarina tem sete municípios entre os 11 primeiros no ranking de densidade de startups: Florianópolis, Chapecó e Joinville, respectivamente, dominam o pódio, seguidas por Tubarão (5o.), Blumenau (6o.), Balneário Camboriú (8o.) e Criciúma (11o.).

Felipe Matos, colunista do portal Link (Estadão) e que publicou a pesquisa em primeira mão, destacou "a presença de cidades relativamente pequenas no ranking de quantidade, sugerindo que elas concentram alta densidade de startups". 

Pelo que acompanho nos últimos anos, a multiplicação de startups pelo estado se deve à grande oferta de eventos de estímulo ao empreendedorismo (como o Startup Weekend) em várias cidades, além de programas estaduais de fomento como o StartupSC e o Sinapse da Inovação. Além disso, há um alto nível de capital humano nas universidades e empresas de base tecnológica já instaladas em Santa Catarina, o que estimula o surgimento de novos produtos e soluções. Sem falar no crescimento dos programas de corporate venture, aceleradoras, redes de investidores e fundos de capital de risco em operação no estado.

Esse é o ecossistema, em resumo. 


 

Pacto da Inovação: Consórcio de entidades batiza uma política mútua pela inovação em SC

Na mesma segunda em que começou a circular a pesquisa da ABStartups, começou em Florianópolis o primeiro Encontro Catarinense do Ecossistema de Inovação, que abriu com um fato relevante: a assinatura do "Pacto pela Inovação", iniciativa puxada pelo Governo do Estado e firmada por 29  entidades para incentivar programas de inovação e empreendedorismo em SC. 

O projeto é uma carta de intenções envolvendo autarquias de governo, fundações, federações, entidades associativas e instituições de ensino, que firmaram um compromisso para desenvolver ao todo mais de 60 iniciativas inovadoras. As propostas de cada entidade estão detalhadas aqui.

Pelo tom das propostas e dos discursos de representantes de entidades, ficou claro que: 

. O estímulo ao empreendedorismo é um dos principais desafios das universidades e centros de formação profissional; 
. Para entidades como Fiesc e Senai, uma das prioridades para inovação é o investimento para desenvolver a indústria 4.0;
. Os hackathons, maratonas de desenvolvimento de novos produtos e soluções, entram de vez na programação de órgão de governo como Ciasc e Celesc;
. Instituições nacionais como a Anprotec, que representa os parques tecnológicos e incubadoras do país, querem entender o modelo do ecossistema local para usar como referência no desenvolvimento de outras regiões; 
. E, claro, não se mexe em time que está ganhando: programas com StartupSC (mantido pelo Sebrae) e o Sinapse da Inovação (Certi/Fapesc) continuam como impulsionadores de novos negócios e formação de empreendedores.

Economia criativa em alta na próxima semana

Além das centenas de startups, Floripa também tem um crescente movimento na área de economia criativa. A partir de segunda, 06.11, começa a 4a. Semana Balaclava, considerado o maior evento de criatividade do sul do país: até domingo, a UNISUL e a ACATE vão receber workshops (design, branding, moda, serigrafia etc), paineis e rodas de conversa com figuras como João Gordo, Paulo Tiefenthaler (Larica Total), Facundo Guerra e a trupe do Hermes & Renato. No comando da Semana está o Balaclava Studio, um estúdio de criação e produção de moda e design gráfico com base em Florianópolis e que se tornou referência internacional em