Coluna Inovação | A necessidade dos mercados tradicionais se encontrarem com novos empreendedores

27 de Junho de 2019

Ações como o Open Day do Link Lab e a Feira de Negócios do Sinapse da Inovação apontam caminhos para quem busca inovação e novas soluções para seus negócios

 

Porque o sentimento geral é de inquietação e de estarmos um tanto perdidos com as ondas de disrupção em novas tecnologias e modelos de negócio, há uma necessidade brutal de "nos encontrarmos". A dor é especialmente maior para quem atua em mercados mais convencionais (varejo, construção civil e imobiliário, mídia e comunicação, entre tantos outros), o que explica por que eclodiram nos últimos anos os programas de inovação aberta e a caça às startups, como forma de oxigenar as ideias e tentar entender de maneira mais ágil como é possível gerar inovação e fazer isso virar negócio.
 

Temos alguns exemplos claros disso aqui em Florianópolis. Nesta quarta (26), por exemplo, as empresas mantenedoras do LinkLab, programa de inovação aberta mantido pela Associação Catarinense de Tecnologia (Acate), organizaram um evento, o "Open Day" (foto) em que elas apresentam as "dores" de seus mercados para que empreendedores e startups se candidatem para auxiliar e, a partir disso, possam trabalhar em conjunto, seja em determinado projeto ou mesmo sob uma condição de investimento/aquisição.

O LinkLab, por exemplo, foi criado em 2017 e reúne empresas de mercados tradicionais - como Weg, Brognoli Imóveis, Malwee, Faculdade Cesusc e, mais recentemente, Koerich, Dimas e outras - que começaram a interagir com novas empresas e assim "tirar o atraso" de iniciativas e projetos de inovação. Sim, há também empresas de base tecnológica no programa - como Teltec, Nexxera e Intelbras - mas elas também sentem a necessidade de ter uma visão mais enxuta no desenvolvimento de processos, como bem fazem as startups.

Contudo, não é nenhuma mágica e nada garante que essa simples conexão vá dar caldo ou algo genial. É a cultura do risco e da experimentação começando a romper paradigmas do universo corporativo, tão afeito a ROIs (retorno sobre o investimento) e outros indicadores. Sim, experimentar custa dinheiro e a boca não tá boa no Brasil há uma meia década, mas esse é um risco que muitas empresas precisam correr para se reinventar. Tanto é que o LinkLab ganhará uma filial em São José agora no começo de agosto, quando for inaugurado o Centro de Inovação municipal, e também está chegando a Joinville, dentro das instalações do Ágora Hub, mais novo parque tecnológico do norte do estado.

 

Sinapses e Centelhas de Inovação

Se há uma grande diversidade de projetos e startups na Grande Florianópolis, um dos programas pioneiros para estimular os empreendedores no estado foi o Sinapse da Inovação, que na próxima terça-feira (02.07) promove mais uma edição de sua Feira de Negócios, no Instituto da Indústria do Sapiens Parque. 

Serão mais de 80 startups de todo o estado apresentando produtos inovadores a potenciais clientes, parceiros e investidores. Os empreendedores apoiados na sexta edição do desenvolveram soluções que podem ser aplicadas em áreas como Administração Pública, Agronegócio, Bens de Capital, Construção Civil, Economia do Mar, Educação, Energia, Meio Ambiente e Mobilidade Urbana. A feira de negócios é promovida pelo Governo do Estado de Santa Catarina por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação (FAPESC), em parceria com o Sebrae/SC, FIESC e Fundação CERTI.

Desde que foi lançado, em 2008, o Sinapse da Inovação apoiou a criação de 489 empresas no estado, das quais 83% estão ativas no mercado com um faturamento estimado de mais de R$ 100 milhões no último ano, gerando impactos econômicos e sociais que contribuíram e contribuem para o desenvolvimento regional.

Estes resultados levaram à criação de outro programa, desta vez em nível federal, mas que também vai rodar em Santa Catarina: o Centelha. Promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pela Finep, o Centelha será operado pela CERTI em 21 estados brasileiros e dará aos programas selecionados até R$ 60 mil em subvenção econômica, capacitações online e suporte para o desenvolvimento do produto do negócio. Quem se interessou tem até o dia 31 de julho para se inscrever no site: www.programacentelha.com.br/sc

Fabricio Umpierres Rodrigues

  • imagem de umpierres@gmail.com
    Fabrício Rodrigues, editor do portal SC Inova, é jornalista com especialização em Gestão Empresarial. Atuou durante 12 anos como coordenador em agências de assessoria de imprensa (Dialetto e PalavraCom), foi repórter em jornais como Gazeta Mercantil SC, A Notícia e Folha de S. Paulo e editor de sites de cultura desde os tempos da Internet discada. www.scinova.com.br / E-mail: scinova@scinova.com.br