Coluna Inovação: De SC ao Vale - empreendedores catarinenses contam impressões da missão do StartupSC a San Francisco

08 de Fevereiro de 2018

Os ares do Vale do Silício ajudam não só a conhecer a meca da TI global mas também para estreitar laços pessoais e profissionais, afirmam participantes

O Vale do Silício recebeu mais uma missão catarinense nesta semana, com o grupo de nove startups do estado chegando a San Francisco para imersão no mais importante polo de tecnologia e inovação do mundo e também para participar do Saastr Annual, evento global que reúne empresas com modelo de negócio de software como serviço (SaaS) - sim, aquele mesmo modelo que o leitor usa quando assiste Netflix ou ouve Spotify. Das egressas do programa StartupSC, 32% têm negócios SaaS.

A missão é a "formatura" do programa StartupSC, mantido pelo Sebrae e apoiadores privados, que encerrou a sétima turma no ano passado. "A estrutura aqui é fantástica: tudo muito prático e organizado, desde o trânsito até a educação das pessoas. O networking aqui é muito forte, tanto no SaaStr quanto nos eventos externos. E a grande quantidade de capital que essa região movimenta. Aqui estão as empresas mais valiosas do mundo e é absurdo o montante de dinheiro que eles movimentam por aqui", comentou, com exclusividade para a coluna, Ricardo Sponchiado, fundador e CEO da Hub2b, de Chapecó.

Criada em 2014, a Hub2b faz a integração de lojas virtuais a marketplaces de todo o mundo e passou pelos principais programas de capacitação para startups disponíveis no estado - Sinapse da Inovação, InovAtiva e StartupSC. Em fechou 2017 com 300 clientes e espera dobrar os resultados neste ano, quando também pretende iniciar operações em São Paulo. "Tirei várias dicas das palestras do Saastr, como a seguinte: se apaixone pela dor do cliente e não pela solução que você oferece. Além disso, não perca muito tempo analisando os concorrentes e o motivo pelo qual outras empresas estão se dando bem no mercado, pois muitas vezes o grande problema é você", resume Ricardo.

Os ares do Vale do Silício ajudam os empreendedores locais não só a conhecer a meca da TI global e fazer networking em outra língua, mas também estreitar laços pessoais e profissionais entre os catarinenses. "A missão tem o papel importante de aproximar os empreendedores daqui que tem os mesmos desafios. Tem gente fantástica do nosso lado, mas acabamos não conversamos no dia a dia por causa da rotina de cada um. A experiência aqui tem sido muito bacana, um ajuda o outro nos desafios, a gente só cresce e fortalece o ecossistema", comenta Livia Cunha, fundadora e CEO da CUCO Health, que fornece tecnologias que auxiliam empresas a oferecer programas de saúde preventiva personalizados para os colaboradores.

Quem tem uma startup e quer passar pelo programa de capacitação StartupSC, é bom ficar ligado no prazo de inscrições da próxima turma: 19 de fevereiro a 19 de março. Serão 20 startups na turma que acontece em Florianópolis (com módulos sempre aos finais de semana) e 10 para a operação de Joinville.
 

Falando em programas de aceleração e capacitação…

Fevereiro está tomado de oportunidades para quem tem um projeto inovador com potencial de escala e busca apoio - seja de desenvolvimento de modelo de negócio, conexão com mercado ou investimento. O SC Inova reuniu neste link os mais importantes e explica o perfil de cada programa. Dá tempo de curtir o Carnaval e depois inscrever seu projeto/startup.
 

Ainda sobre empreendedorismo…

Se você ainda não tem uma startup, mas tem vontade de empreender e quer conhecer possíveis parceiros ou mentores para auxiliar na concepção do projeto, a dica é participar dos eventos do pessoal do Dazideia. É o seguinte: você se escala para fazer seu pitch de negócios ou para avaliar o projeto de quem apresenta. Entre os participantes, costumam ter investidores ou mentores que ajudam os novos empreendedores a qualificar seu modelo de negócio ou até fazer parcerias. O projeto, que começou em 2016 em Florianópolis, virou "franquia" pelo país e já acontece em 12 cidades de todas as regiões (de Manaus a Porto Alegre, passando por cidades de médio porte).

“A gente recebe um público bem diversificado. Há interesse de pessoas outras áreas, além da TI, de criar uma startup, de inovar, mas elas têm dificuldades sobre como começar. Nos nossos eventos, os participantes podem conversar com quem é da área, já empreende ou que pode ser um investidor”, ressalta Camila Ferreira, cofundadora do Dazideia ao lado de Giovani Santoro. A ideia, por sinal, surgiu depois que eles participaram de um programa de imersão no Vale do Silício (olha ele aí de novo).

Em 37 eventos, 244 pessoas apresentaram seus projetos de negócio para um total de 1,5 mil participantes. Quase 60% deste total é de pessoas entre 25 e 40 anos, o que mostra, segundo Camila, "que há uma grande vontade de empreender nesta faixa etária de quem já tem vivência de mercado e busca novas ideias".

 

Fabricio Umpierres Rodrigues

  • imagem de umpierres@gmail.com
    Fabrício Rodrigues, editor do portal SC Inova, é jornalista com especialização em Gestão Empresarial. Atuou durante 12 anos como coordenador em agências de assessoria de imprensa (Dialetto e PalavraCom), foi repórter em jornais como Gazeta Mercantil SC, A Notícia e Folha de S. Paulo e editor de sites de cultura desde os tempos da Internet discada. www.scinova.com.br / E-mail: scinova@scinova.com.br