Coluna Inovação | Da cidade dos empregos públicos para um polo empreendedor: o modelo diferenciado que Florianópolis construiu na TI

18 de Abril de 2019

"Há uma bolha de influência que influencia os novos empreendedores. E hoje estamos no meio do furacão", afirma o coordenador da Endeavor em SC, Guilherme Lopes, no primeiro episódio do programa SC Inova Talks

Chamar Florianópolis de "Ilha do Silício" tem sido a maneira mais corriqueira - e marqueteira - de destacar o impulso que empresas de base tecnológica deram à capital catarinense nos últimos anos, numa referência ao Silicon Valley, no norte da Califórnia. Afinal, não faz muito tempo desde que a cidade era referência apenas para quem queria passar as férias, estudar nas universidades federal e estadual, se aposentar ou, melhor dos mundos, conseguir um emprego público.

Acontece que uma série de fatores acabou fazendo a cidade se destacar como um polo empreendedor na área de tecnologia e inovação, numa construção que começou há mais de 30 anos e começa hoje a ser percebida até internacionalmente. Os motivos que levaram a esse modelo é o tema em destaque no primeiro episódio de um programa de debates - em vídeo e podcast - que o portal de notícias especializado SC Inova (do qual sou editor e fundador) e a agência de marketing online & offline focada em inovação Raise Hands, lançaram nesta semana, o SC Inova Talks.

No papo, dois importantes articuladores desse ecossistema nos últimos anos - Alexandre Souza, gestor do projeto StartupSC/Sebrae, e Guilherme Lopes, coordenador da Endeavor em Santa Catarina - debatem não só as origens e qualidades, mas também os desafios e problemas que Florianópolis enfrenta em função dessa nova realidade: falta de centenas de profissionais capacitados, ausência de engajamento real das universidades no ecossistema, entre outras pautas que merecem destaque.

"Não sei se é sorte, mas temos um grupo de empreendedores aqui em Florianópolis com muita capacidade de realização, e isso inspira outros a fazer o mesmo. O grande diferencial da nossa comunidade são os empreendedores", ressalta Alexandre. Na visão de Guilherme, da Endeavor, "há uma bolha de influência que influencia os novos empreendedores. E hoje estamos no meio do furacão, praticamente uma tempestade perfeita".

Além do canal no YouTube, o SC Inova Talks está disponível em formato podcast no Spotify.
 

Startups de saúde em SC atraem atenção e recursos

Relatório divulgado pela consultoria KPMG aponta que existem hoje 288 startups no Brasil focadas no segmento de health tech: 21,80% delas estão no Sul  e 7,4% em Santa Catarina). Elas começaram a despontar especialmente a partir de 2010, mas já apresentam um mercado muito promissor, como destaca boletim de tendências que o Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae/SC disponibiliza gratuitamente.

Em Santa Catarina, há uma série de exemplos de novos negócios nesta área, como o da CUCO Health, startup que surgiu em Florianópolis em 2015 e desenvolveu um aplicativo mobile, baseado em inteligência artificial e mecanismos de machine learning. Ela tem como objetivo ajudar os pacientes a manter em dia seus hábitos com a saúde, oferecendo orientações sobre hábitos saudáveis, lembretes de como e quando tomar seus medicamentos, entre outros.

A GoGood, por exemplo, criou uma plataforma para estimular colaboradores de empresas a cuidar da saúde, seja por meio de alimentação correta, prática de atividades físicas ou iniciativas de redução de stress. A ePHealth, também de Florianópolis, é pioneira no país ao criar um sistema de gestão para ajudar o trabalho de milhares de agentes comunitários de saúde – e foi uma das várias catarinenses selecionadas para a incubadora Eretz.bio, ligada ao hospital Albert Einstein.

“Santa Catarina é o estado mais competente no desenvolvimento de tecnologia para saúde. Não pelo volume de negócios, mas pelo número de pequenas e médias empresas com produtos sólidos”, afirma Walmoli Gerber, empresário e diretor da Vertical Saúde da ACATE. “As iniciativas locais conseguiram enxergar o mercado e inserir inovação”.

Foto: Impact Hub Floripa / Divulgação

 

vista aérea de uma grande sala com mesas  e cadeiras na cor vermelha

Fabricio Umpierres Rodrigues

  • imagem de umpierres@gmail.com
    Fabrício Rodrigues, editor do portal SC Inova, é jornalista com especialização em Gestão Empresarial. Atuou durante 12 anos como coordenador em agências de assessoria de imprensa (Dialetto e PalavraCom), foi repórter em jornais como Gazeta Mercantil SC, A Notícia e Folha de S. Paulo e editor de sites de cultura desde os tempos da Internet discada. www.scinova.com.br / E-mail: scinova@scinova.com.br