Coluna Gaby Haviaras | Boas Escolhas

24 de Outubro de 2018

O que a gente estimula no mundo?

Conversando esta semana com uma amiga, que me contava sobre seu mestrado em arquitetura, ouvi dela: “Na sala, a professora perguntou se alguém tinha comprado um livro de poesia: só eu e uma outra aluna levantamos a mão”. A partir disso, uma questão foi levantada: O que a gente estimula no mundo? O que você põe em movimento? Quais são as nossas escolhas que influenciam o universo em que
vivemos? São todas?

No momento em que compramos um livro de poesia nós estamos estimulando que o poeta continue a escrever e vender seus livros. Quando falamos que só gostamos de poesia e não fazemos nenhum movimento, a poesia pode, sim, desaparecer. Assim como muitas coisas da "era da vovó" já sumiram. A poesia é apenas um exemplo numa infinidade de coisas. Como estamos imersos no capitalismo e precisamos consumir para viver, precisamos nos perguntar sobre o que consumimos. Quando vamos a uma feira orgânica e compramos direto do produtor, estimulamos que ele continue realizando aquele trabalho, que faz tão bem não só ao mundo, quanto também a quem consome aquele alimento. Quando fazemos a opção apenas pelos consumos de alimentos industrializados, estamos estimulando mais refrigerantes, cheetos, cheesburgueres e alimentando atravessadores destas indústrias. Isto serve muito mais para o consumo das carnes animais.

Não vou nem ponderar as questões que destroem o mundo, pois o ser humano está se saindo uma incrível erva daninha. O ser humano precisa do planeta, mas o planeta não precisa do ser humano. Mas achei relevante esta conversa para refletirmos sobre nossas escolhas em nosso dia a dia, já que estamos um momento crucial de escolhas no Brasil. O que podemos mudar nos nossos hábitos que possam contribuir com o mundo? Com dias mais saudáveis, menos estressantes, com vidas mais leves e prazeres mais sutis e relações mais harmônicas. Estamos nitidamente num período de mudanças e alterações de paradigmas.

Precisamos estar atentos aos acontecimentos. Informação, reflexão e escolhas nos ajudarão a ser mais honestos e saudáveis conosco e, por consequência, com o outro. Estamos precisando voltar aos cuidados de nós e dos nossos. 

Esta reflexão vai desde “o que vou postar na rede social e o que isso vai retornar para o meu dia” até a escolha do que você irá comer. Não basta refletir e brindar, precisamos refletir e mudar! E às vezes mudar um simples hábito, como cumprimentar o gari na rua, pode mudar seu ponto de vista.

Gaby Haviaras