Coluna Fabrício Wolff | A propaganda e os canais da ALESC

21 de Janeiro de 2019

Propaganda é a arte de criar uma verdade para a venda de uma ideia

Chamou-me atenção um anúncio veiculado em canais de televisão abertos pela Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina que fala do acompanhamento, por parte da população eleitora-contribuinte, do trabalho dos deputados estaduais. Nela, o ator sugere que não acompanhar aos canais de comunicação da Alesc deixa o cidadão cego, sem enxergar. E, no final, que conectado às redes de informação oficiais da Assembleia, ele enxerga muito melhor.

Considerei uma grande sacada do texto e roteiro do comercial, que faz a conexão do enxergar bem com o fato de estar ligado nos canais da Alesc. Mas como todo bom texto tem uma mensagem nas entrelinhas, o deste comercial é muito inteligente ao deixar comparativos subliminares (ou nem tanto) ao longo do texto. 

Primeiro sugere que as fake news estão por aí (o que é verdade e, como toda notícia falsa, tende a prejudicar a imagem dos seus alvos – no caso, os políticos). Depois – e aí está a ousadia – sugere que mesmo ao acompanhar as notícias pelas mídias tradicionais e veículos de comunicação (leia-se imprensa), o cidadão pode não estar sendo bem informado. A imagem do comercial, naquele momento, fica fora de foco. Dá nitidamente a entender que se o cidadão quiser conhecer efetivamente o trabalho dos deputados, deve ficar ligado nos canais de comunicação oficiais da Alesc.

Ótima sacada, no aspecto de vender a própria mídia (oficial) e colocar as demais em dúvida. Algum cidadão mais atento poderia dizer que, na mídia oficial, não haverá críticas ao trabalho dos deputados. E estaria correto. Mas a ideia aqui não é fazer uma análise sobre a veracidade do anúncio, mas um breve comentário sobre a criação de um texto e contexto que vende muito bem os canais de comunicação da Alesc e a ideia de que eles são a melhor maneira dos catarinenses acompanharem os trabalhos legislativos.

Afinal, propaganda é arte de criar uma verdade para a venda de uma ideia e não uma ideia criada para a venda de uma verdade. 

Fabrício Wolff

  • imagem de fabriciow
    Possui graduação em Jornalismo e Direito. Pós graduado em Educação. Experiência profissional na Comunicação desde 1980, tendo atuado tanto nos principais veículos de comunicação do estado especificamente na área de Jornalismo, como também em agências de publicidade. Profissional multimídia, professor universitário nos cursos de Jornalismo, Publicidade e Administração. Natural de Porto Alegre, radicado em Blumenau desde 1983, mudou-se para Florianópolis em 2019.

Notícias Relacionadas