Coluna Fabricio Wolff | Horário é compromisso. Compromisso é atitude

20 de Agosto de 2020

"Uma coisa é certa: as atitudes são a maneira mais natural, forte e impactante de comunicar"

Algumas vezes já tratei aqui que as atitudes comunicam. Elas dizem muito de você. Não é incomum ver frases sobre isto, do tipo “atitudes dizem mais do que mil palavras” ou “as críticas que você faz dizem muito mais sobre você do que sobre os outros”. São frases chavão, sim, mas essas mensagens só se tornam chavão, referência ou ditados populares exatamente porque estão alicerçadas na experiência social, na realidade do cotidiano das pessoas. Uma coisa é certa: as atitudes são a maneira mais natural, forte e impactante de comunicar.

Se todas as atitudes comunicam, uma das que mais chama a atenção é o comprometimento. Compromisso com seus princípios, com as pessoas, com tudo aquilo com o que você, em algum momento, resolveu se comprometer. Neste sentido, uma demonstração mais do que importante de compromisso, é o cumprimento de horário. Ao ser pontual, ao cumprir o horário marcado, você demonstra, com esta simples atitude, seu comprometimento, seja com a pessoa, com o trabalho, com você mesmo.

É quase surreal pensar que o simples conectar-se aos ponteiros do relógio possa dizer tanto de você. Não se trata de ser escravo do relógio. Trata-se de ter compromisso com a sua escolha. Se você aceitou um compromisso e ele incita hora marcada, cumprir o horário demonstra atitude responsável, pró-ativa, escorreita. Cumprir (ou descumprir) o horário, pois, diz muito da pessoa. Mostra que ela respeita o tempo dos outros, seus próprios compromissos, respeita a si mesmo. Demonstra que tem disciplina, organização e responsabilidade. Comprova que possui visão de suas escolhas e retidão de caráter para honrá-las.

Vindo de Blumenau, terra germânica onde os horários são levados muito a sério, aprendi isto da forma mais difícil. Cheguei à cidade com 18 anos e aquela irresponsabilidade natural da juventude dos anos 80. Como paralelo aos estudos e à minha profissão de jornalista sempre tive outros projetos, muitos dos quais envolvia contato com clientes, os dois primeiros episódios foram marcantes. Agendei com dois possíveis clientes, empresários, uma reunião para apresentação de um projeto. Cheguei 5 minutos atrasado no primeiro; recebeu-me, mas de má vontade. Senti que perdi a possibilidade de negócio. No outro caso, o possível cliente sequer me atendeu. Aprendi a lição para toda a vida.

Mudei-me no início do ano passado para Florianópolis. Aqui, nenhum prestador de serviço cumpre horário. Difícil adaptação. A terra é maravilhosa, o povo mais ainda. Acolhedor, divertido, leve... mas tem uma dificuldade imensa em cumprir horário. Os “manezinhos”, como são queridamente chamados, em sua maioria, não se dão bem com o relógio. Talvez porque levem a vida de forma mais descompromissada, por opção ou cultura. Ainda assim, comunicam que não priorizam seus compromissos, ainda que eles lhes garantam o pão de cada dia.

De forma geral, é razoável concluir que alguém que não consegue cumprir seus horários, muito comumente não conseguirá cumprir quaisquer de seus compromissos. Esta pessoa já dá indícios de que dificilmente fará parte da solução, mas facilmente comporá o rol de problemas a resolver. Isso reafirma a ideia de que atitudes comunicam, para o bem e para o mal. Escolher o que a pessoa quer comunicar para os outros, depende somente dela mesma.

Fabrício Wolff

  • imagem de fabriciow
    Possui graduação em Jornalismo e Direito. Pós graduado em Educação. Experiência profissional na Comunicação desde 1980, tendo atuado tanto nos principais veículos de comunicação do estado especificamente na área de Jornalismo, como também em agências de publicidade. Profissional multimídia, professor universitário nos cursos de Jornalismo, Publicidade e Administração. Natural de Porto Alegre, radicado em Blumenau desde 1983, mudou-se para Florianópolis em 2019.

Notícias Relacionadas