Coluna Fabrício Wolff | Das máscaras do Jornalismo

21 de Maio de 2021

"(...) todos nós, sem exceção, usamos máscaras. Não as da Covid, mas nossos disfarces individuais."

Em tempos de pandemia, máscaras que escondem nossos disfarces cotidianos, e uma mídia noticiosa cada vez mais questionada, o comentário de Cao Hering chamou minha atenção, de tal forma, que decidi reproduzi-lo abaixo, com a devida vênia do autor, para quem solicitei o texto escrito. Ele leva à reflexão, tão necessária em tempos de desenfreado consumismo de informação sem a intertextualidade necessária, sem a devida capacidade de filtrar as informações, sem a preocupação em receber as mensagens de maneira crítica. Afinal, esta é a realidade da imensa maioria da nação brasileira.

“Caros e pacientes ouvintes, todos nós, sem exceção, usamos máscaras. Não as da Covid, mas nossos disfarces individuais. A dissimulação é necessária para o funcionamento em sociedade. E você já deve ter observado que nas diversas atividades também há máscaras, ou cacoetes. Arquitetos e publicitários se travestem de descolados, juristas vivem em seus contorcionismos semânticos, médicos na altivez de seus jalecos, psiquiatras com a mão no queixo olham além de nós, artistas estão sempre munidos de um infindável arsenal de caras e bocas, políticos são reféns de seus sorrisos automatizados, atletas fingem humildade com os adversários, porteiros se imaginam autoridades e... os produtores de notícias, cada vez mais tomados pela pose e empáfia. Pior: caíram na tentação de decidir sobre o certo e o errado; o bem e o mal.

Os antigos jornalistas, os decididos investigadores - comprometidos com a verdade em bem forjadas redações - em muitos veículos estão sendo substituídos ideologicamente por arrogantes bacharéis, moleques com péssima gramática, panfletários gerando descrédito numa profissão que em muitos momentos foi o sólido esteio da Nação. Com as exceções de praxe, há muitos editores, tomados pela indiferença, que silenciam sobre um Congresso e um Supremo corrompido e arbitrário, além de tratar com naturalidade uma CPI comandada por delinquentes históricos. Também são coniventes com candidatos caricatos, fraudulentos, além de concordar com as vozes destemperadas para retomar o poder a qualquer preço, mesmo que nos custe a falência definitiva. Com todo meu agnosticismo, espero que Deus esteja mesmo acima de tudo isso. Cao Hering para a 90FM”.

Cao Hering é um conhecido e inteligente publicitário blumenauense, proprietário da Direcional Propaganda (onde tive uma experiência profissional no final dos anos 80). Embora empresário, Cao é criativo por natureza. Foi chargista (dos bons) do antigo Jornal de Santa Catarina por algum tempo, função que assumia por puro prazer. Hoje coloca suas opiniões em textos bem escritos, tanto nas redes sociais quanto neste comentário que faz para a rádio FM 90, de Blumenau.

Fabrício Wolff

  • imagem de fabriciow
    Possui graduação em Jornalismo e Direito. Pós graduado em Educação. Experiência profissional na Comunicação desde 1980, tendo atuado tanto nos principais veículos de comunicação do estado especificamente na área de Jornalismo, como também em agências de publicidade. Profissional multimídia, professor universitário nos cursos de Jornalismo, Publicidade e Administração. Natural de Porto Alegre, radicado em Blumenau desde 1983, mudou-se para Florianópolis em 2019.

Notícias Relacionadas