Coluna Fabrício Wolff | A Comunicação da Lava Jato

24 de Junho de 2019

A construção de uma imagem, a forma de se comunicar, o uso dos meios para fazê-lo

Que a comunicação é muito importante para a nossa vida e está em todos os momentos do nosso cotidiano, é assertiva conhecida por todos aqueles que têm interesse pelo tema e o cerne deste espaço no Acontecendo Aqui. Martelamos a ideia de que a comunicação é tão poderosa que se torna a diferença entre o sucesso e o fracasso, seja na vida pessoal ou profissional. É peça chave e mola mestra tanto na vida das pessoas quanto das corporações.

A importância da comunicação está escancarada no dia a dia da sociedade. Nacionalmente, ainda se discute sobre o hackeamento e vazamento de informações de um aplicativo de troca de mensagens entre o ministro Sérgio Moro e procuradores da Operação Lava Jato. Destarte o fato da invasão criminosa de contas privadas, o vazamento dá conta do quão é importante tomar cuidado nas comunicações, ainda que profissionais, pelos novos meios disponibilizados pela tecnologia.

Sem julgamento de valor do caso específico (a troca de mensagens e o hackeamento dessas mensagens), a Operação Lava Jato tende a se salvar de prejuízo maior porque comunicou muito bem, ao longo de sua existência, os resultados de sua atuação: políticos e empresários presos, bilhões de reais repatriados ao país, e o propósito de conseguir frear a tresloucada corrupção que assola o Brasil desde – pelo menos – os novos governos democráticos eleitos pelo voto país a fora. 

A Lava Jato comunicou com competência aos brasileiros a que veio, objetivo que se conectou ao desejo de milhões de indignados cidadãos que compõem a imensa maioria da Nação, e isso faz com que apesar do possível deslize de Moro e seus colegas, ela pareça estar blindada de punições ou retrocesso. É o típico caso em que “os fins justificam os meios”, frase cuja ética é questionada historicamente e erroneamente atribuída a Nicolau Maquiavel, que não a disse nem a escreveu, mas deixou entender o princípio em questão em seu best seller “O Príncipe”. O povo brasileiro entende que os feitos da Lava Jato são e serão muito maiores do que seus possíveis defeitos.

A comunicação é importante estratégia sempre. A construção de uma imagem, a forma de se comunicar, o uso dos meios para fazê-lo, a linguagem correta para cada meio e para cada público, o argumento (emocional, racional, empatia), a forma de colocar a argumentação, o uso das palavras corretas no lugar correto como forma de impactar o poder do uso de seu significado... são tantas  nuances interligadas que fazem toda a diferença entre a vitória ou a derrota, entre a conquista ou não do objetivo (seja ele qual for, da preferência em uma vaga de emprego ao sucesso em um convite para jantar), que tornam a comunicação uma arte a ser estudada com profundidade por todos aqueles que buscam não só o sucesso, mas entender como as coisas funcionam em uma sociedade.

Fabrício Wolff

  • imagem de fabriciow
    Possui graduação em Jornalismo e Direito. Pós graduado em Educação. Experiência profissional na Comunicação desde 1980, tendo atuado tanto nos principais veículos de comunicação do estado especificamente na área de Jornalismo, como também em agências de publicidade. Profissional multimídia, professor universitário nos cursos de Jornalismo, Publicidade e Administração. Natural de Porto Alegre, radicado em Blumenau desde 1983, mudou-se para Florianópolis em 2019.