Coluna Emílio Cerri | O maior desafio de marketing é conseguir a atenção do consumidor

15 de Abril de 2019

Cada um de nós enfrenta entre 10.000 e 13.000 mensagens publicitárias por dia ...

 

Nome bem: o título afirma "atenção do consumidor" e não atenção a ele. Segundo o semanário  econômico alemão "Wirtschaftswoche", o grande problema do marketing hoje não é o Big Data, a publicidade nativa, o , foco no cliente, Inteligência Artificial, ou a (no Brasil) LGPD. O desafio a vencer é a "cegueira" do consumidor. O consumidor não olha mais os anúncios,  não os vê. 

Na Europa, na década de 1980, antes da chegada das rádios e televisões privadas, o consumidor via entre 650 e 850 mensagens publicitárias por dia. Na virada do milênio aumentou de 2.000 para 3.000 diárias. Com o advento da publicidade na internet, o número de mensagens publicitárias por dia aumentou de 2006 para 5.000. E agora estima-se que cada um de nós enfrente entre 10.000 e 13.000 mensagens publicitárias por dia ...

Estima-se que a cegueira por publicidade ocorra com uma dose de 3.000 a 5.000 mensagens publicitárias por dia e por consumidor. Com esses dados na mesa, pode-se dizer que a publicidade está se auto abolindo.  A onda de publicidade a que estamos sujeitos quadruplicou nos últimos 18 anos. Naturalmente, ninguém pode assimilar essa enorme quantidade de informação.  Mas o mais grave para os anunciantes é a perda crescente de valor. E por isso é mais caro.

Se você acredita que os anunciantes, as marcas, estão dispostos a pagar menos por tantos contatos de pouco valor para seus grupos-alvo, você estará errado. Os custos de publicidade nos motores de busca (Google e similares) aumentaram em apenas dois anos em 47%. E o preço por mil contatos na televisão, que continua sendo o rei médio da publicidade, também aumentou nos últimos 10 anos em 50%. Esse fenômeno de pagar cada vez mais por menos valor não é visto em nenhum outro setor industrial. Falar aqui de "retorno do investimento" (ROI) parece uma piada ", comenta o" Wirtschaftswoche ".

"Os culpados são os próprios anunciantes. Um exemplo: as 780 mil marcas que estão registradas apenas no mercado alemão pararam de investir mais dinheiro em publicidade na mídia “tradicional”, mas cada vez mais o fazem em mensagens baratas na internet. O que está diminuindo é surpreendente: mais publicidade na internet, algo de que os anunciantes não se beneficiam.

Tempos difíceis aguardam o setor de publicidade. Parece que o fim dessa "grande pilha de sucata digital" está se aproximando e que forçaria os anunciantes a voltarem para canais de publicidade mais caros. Seria uma possibilidade de acabar com o crescente "lixo inflacionário" e com tanta publicidade online. Mais de 40% dos usuários instalaram adblockers. E 56% dizem que a maioria da publicidade online insulta sua inteligência.

Emílio Cerri

  • imagem de ecerri
    Emilio Cerri é publicitário, estrategista de marketing e jornalista, com atuação em agências nacionais e internacionais, além de diversas empresas e meios de comunicação. Também vem realizando palestras em vários estados brasileiros e países da América do Sul. Atualmente é CEO da Marketall Comunicação, um hub de serviços de marketing entre os quais se destaca o "Posicionamento Competitivo". Para esse trabalho, Cerri tem o endosso e apoio da Ries & Ries (Atlanta, USA), consultoria de Al Ries, criador do Posicionamento.