Publicidade
Coluna Eduardo Boechat | Previsões para o mercado financeiro em 2022
03 de Janeiro de 2022

Coluna Eduardo Boechat | Previsões para o mercado financeiro em 2022

"A probabilidade de o mercado brasileiro sucumbir parece pequena. E temos uma chance real de que os ativos subam"

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook
Por Eduardo Boechat 03 de Janeiro de 2022 | Atualizado 03 de Janeiro de 2022

E aí, pessoal?

Nesse último texto do ano, a intenção é fazer previsões para o mercado financeiro em 2022. Esse negócio de ficar prevendo o futuro não é moleza. Provavelmente, errarei mais do que irei acertar, ainda mais em um ano com eleições gerais. Mas vamos lá. Vou passar o que acredito ser o cenário hoje e as alternativas mais prováveis.

Publicidade

 

Mercado externo:
As bolsas em Nova York seguem batendo recordes de alta. Com a pandemia, o governo americano injetou trilhões de dólares na economia. O efeito colateral mais perverso é a inflação mais alta. Será que isso pode desestabilizar o mercado americano? Eu chutaria que teremos mais um ano ok. Nada fantástico, sem maiores solavancos. Na China, algum sintoma de piora já está no ar. Espero que o crescimento chinês diminua seu ritmo no próximo ano. Mas o governo chinês tem instrumentos para segurar qualquer crise maior, então não acredito em nenhuma notícia muito negativa vindo de lá.

 

Brasil:
Passaremos o ano inteiro discutindo as eleições para Presidente. E aqui, meus queridos, é que moram as incógnitas. Temos 4 cenários possíveis:
1) Reeleição do atual governo
2) Volta do PT ao poder
3) Vitória de uma 3ª via de centro direita
4) Vitória de uma 3ª via de centro esquerda

Antes de mais nada, gostaria de lembrar que minha coluna é sobre o mercado financeiro. Aqui não cabem análises políticas, mas somente considerações sobre a direção que os preços dos ativos devem seguir. Todos temos grupos de WhatsApp. Em alguns, sou comunista. Em outros, sou fascista. Nesse mundo polarizado que vivemos, dependendo da opinião que emitimos, podemos ser “cancelados” ou exaltados. Então, peço aos “haters” que se acalmem. Não precisam concordar comigo. Essa é só uma mísera opinião no meio de tantas outras. Tendo isso em mente, tenho os seguintes comentários:

Em caso de vitória de Bolsonaro ou Lula, o mercado tende a continuar na mesmice que estamos. Se em 2018 uma vitória de Bolsonaro representou uma expectativa positiva na economia, hoje isso não existe mais. Em conversas com gestores de carteiras de investimentos, vários acreditam ser melhor uma vitória do petista. Acreditam que Lula é um cara pragmático, que apesar dos pesares, não erraria na condução da economia. Outros acham que a volta do PT seria o fim do mundo. Com todos os erros que cometeram e toda a questão da corrupção voltando a ser o principal assunto. Ou seja, esse cenário binário ruim já estaria nos preços dos ativos. Julgo que a chance de que, uns desses dois, seja o próximo presidente, é de 70%, no momento.

Aí passamos a analisar as alternativas. Caso um candidato como Ciro Gomes venha a ser eleito, na minha opinião, teríamos o pior dos cenários para ações, dólar e juros. Seria uma incógnita muito grande. E o mercado não gosta de incógnitas. Para esse cenário, atribuo um percentual bem baixo de chances. Algo em torno de 5 a 10%.

Para o mercado (de novo, sob o ponto de vista financeiro), uma vitória da Centro-Direita poderia representar um grande alívio, depois de muitos anos de tensionamento político. A eleição de Candidatos, como Sergio Moro ou João Dória, poderia catapultar expectativas e fazer o país entrar em uma espiral positiva de preços. Bolsa em alta. Dólar e juros em baixa. Para esse cenário, atribuo uma chance de 20 a 25%.

Considerando que eu esteja certo, nesse momento, não vejo muito downside* em estar posicionado em ativos brasileiros. A probabilidade de o mercado brasileiro sucumbir parece pequena. E temos uma chance real de que os ativos subam. E subam bastante. Assim sendo, ponderando todas as nuances que nos aguardam, minha expectativa é que o índice Bovespa feche 2022 entre 130 e 160 mil pontos. Dólar entre 5,00 e 5,40.

Vou guardar esse texto aqui para Dezembro de 2022. Quero ver o tanto que errei. E vocês? O que esperam de 2022? Me chamem pelo Instagram @eduardo.boechat. Vamos argumentar, sempre com educação e sem extremismos, sobre os caminhos que o Brasil percorrerá no próximo ano.

Um Feliz Natal a todos e um excelente 2022, com muita saúde e alegria!!!


*termo usado para designar uma chance de perda em algum investimento

Publicidade
Publicidade