Coluna Ana Lavratti: Gratidão é como a saúde: quanto mais floresce, mais me fortalece

29 de Abril de 2019

Com saúde e gratidão, em vez de fitar o chão, enxergo as bênçãos que o céu revela, feito caldeirão

Praticando a gratidão pelo reencontro, quase 30 anos depois: Romero, Ana, Ilze e Daniela

 

Na Coluna da segunda passada, versando sobre a verve “poliglota” do amor, contei aqui como não basta sentir, é preciso se expressar na exata linguagem que o outro consegue decifrar... seja ela a declaração, um gesto, o contato físico, um presente ou a presença... a efetiva companhia de quem está ali de corpo presente e espírito contente, concentrado o suficiente.

Mas hoje o enfoque é diferente!

 

Quero lembrar o quanto, quando falamos conosco (isso mesmo, eu comigo), quando escutamos a alma, não podemos ser negligentes. 

Enxergar só os desejos relegando o que alcançamos. 

Ver os fracassos, furioso, em vez de aprender com eles. Curioso!

Olhar a sorte do outro sem calcular os suplícios, os segredos de quem ascende.

Cegar de medo e solidão sem reparar na “caldeira” que toda manhã acende.

Cada sentimento que ameaça crescer em mim pode ser regado, encorajado, ou ao contrário, sabotado... 

Se desde o brotar daquela sensação já percebo sua vocação - uma folha de culpa, a flor da inveja, um ramo de insegurança - deixo sem água, deixo sem luz, não dou à raiz qualquer esperança. 

Reviro a terra, reforço o adubo, assento as sementes de outra planta, cheia de graça: a gratidão! 

Quanto mais floresce, mais me fortalece.

Aquele que se convence o quanto tem pra agradecer,

o quanto a vida é generosa e ele pode oferecer,

o quanto, tendo saúde, posso escolher o que quero ser.

Feito a flor e seu perfume, feito a luz do vaga-lume,

posso mudar ambientes, lançar boas sementes, 

sem a menor dependência de alguma aprovação.

 

Um coro de gratidão já me sacia o coração!

Pela saúde pra enfrentar o que precisa conserto,

saúde pra começar, pra arriscar num sonho incerto.

Saúde que me autoriza aprimorar um talento,

que me permite ir adiante num futuro a contento.

que me concede até mesmo, às vezes pausar o tempo.

 

Neste fim de semana foi assim que me senti, transbordando gratidão pela saúde que encolhe,

me lembrando da idade, da falta de flexibilidade,

mas que ainda assim me permite dar o melhor de mim.

Voltando às origens, ao tempo de aluna, professora e atleta de Aeróbica, na companhia de amigos que seguiram a profissão: Ilze Thieme, do Studio Top Physical de Itajaí, e Romero Ferreira, que comandou neste sábado a aula de step do Fitness Day no pavilhão da Marejada.

Depois de um longo período com a Itália se rendendo ao seu carisma, Romero deu um rasante no Brasil para formar professores em uma nova e animada modalidade: Pound Fitness, com baquetas de bateria elevando o coração ao ritmo da percussão.

Enquanto confirma mais Master Classes em outras cidades, Romero embarca nesta terça para São Paulo, como professor convidado do Fitness Brasil 2019 no Centro de Eventos Pro Magno. Meu antigo par nas competições em dupla, com quem tive o privilégio de subir ao podium em um campeonato sulbrasileiro de aeróbica, Romero traduz em vigor, 30 anos depois, o poder que nós detemos:

quanto mais a vida ativa é uma opção pragmática,

menos o tempo vai impor suas marcas.

 

Fitness Day na Marejada Itajaí
À esq: eu e minha irmã, Daniela, com a primeira professora, Ilze

Ana Lavratti

  • imagem de lavratti
    Ana Lavratti é Jornalista e Mestra pela UFSC com pesquisa sobre a Notícia em Meio Digital Online. Multiplataforma, acumula experiência em mídia impressa, eletrônica e assessoria de comunicação. Também é escritora, autora de 3 livros e 3 e-books, e atua como colunista social desde 2014. www.analavratti.com.br / social@analavratti.com.br Curta o Instagram @analavratti