Coluna Ana Lavratti: Férias em família na Flórida, parte 5

30 de Setembro de 2019

Na série sobre Férias de Verão em Orlando, hoje eu trago os parques Animal Kingdom e Magic Kingdom

Animal Kingdom: encontro com o Mickey e a Minnie com horário pré-agendado pelo APP

 

Em mais um capítulo das nossas Férias em Família na Flórida, hoje eu compartilho o que vivemos entre dois Parques da Disney: Animal Kingdom e Magic Kingdom. Nas semanas anteriores, contei aqui nossas jornadas incríveis entre o Aquatica, Sea World, Universal Studios e Islands of Adventure. Como já conhecíamos o Magic Kingdom – famoso pelo Castelo da Cinderela –, o Epcot e o Hollywood Studios, a aposta agora foi no parque mais arborizado de Orlando, pra compensar o calor nas alturas do #Verão2019. E não é que a conveniência virou mero detalhe, comparada à “diversão das galáxias” que vivemos ali?

 

Enquanto o universo Star Wars invadiu o Hollywood Studios, no Animal Kingdom o futuro chegou com viés de Avatar. Vencedor do Oscar de melhor fotografia, melhor direção de arte e melhores efeitos visuais, o filme ecoa seus principais atributos – com cenários de encher os olhos e o coração – na mais recente área: Pandora – The World of Avatar. Dividido em continentes reais fielmente retratados e outros territórios apenas imaginados, como a Dinoland e a Discovery Island, o Magic Kingdom nos projeta logo à esquerda da entrada ao ano de 2.154. Em Pandora, uma das luas dentro do sistema Alpha Centauri, os corpos Na’vi humanos híbridos vivem experiências surreais, voando em pássaros gigantes, em real conexão com a natureza, golpeados pela máxima beleza. Entre a Na’vi River Journey e o Avatar Flight of Passage, mergulhamos em tudo isso... deslizando de barco, decolando num Toruk.

 

Para quem já perdeu detalhes do filme, afinal lá se vão quase 10 anos do seu sucesso, nossa dica é começar pela River Journey. Navegando de barco dentro de uma caverna povoada pelos personagens e cenas de Avatar, fica fácil relembrar os momentos mais marcantes e se vestir de ímpeto para a próxima aventura: Flight of Passage. Devidamente entalada em uma moto, afinal os acessórios de segurança são fortemente ajustados no tronco, só pude agradecer a Lara por me obrigar a entrar. Uau! Sensacional! Então nem hesite em abdicar da chance de voar, em alta velocidade, agarrado a pássaros gigantes, entre subidas e descidas radicais, entre inimigos e perigos, saindo em êxtase e ileso... Porque isso é magia em família.

 

Prefere estar do outro lado? Pois no Pandora Rangers, em vez do “corpo” dos nativos, é possível vestir a armadura do exército humano que enfrenta os Omaticaya. Neste link aqui fica fácil visualizar as atrações do Mundo de Avatar, lembrando que na saída, o rompante dos tambores é sempre um show à parte. Além dos artistas profissionais, os equipamentos de percussão, meticulosamente camuflados entre rochas e folhas, são disputados pelas crianças e por quem não resiste a virar criança por ali. As aventuras seguem pela Ásia, com a montanha russa Expedition Everest – Legend of the Forbidden Mountain e o bote girando em águas turbulentas no Kali River Rapids. Quem não tiver capa que se prepare. Vai tomar um banho!

 

 

Mesmo não sendo o parque #1 da Disney, afinal é difícil concorrer com o mundo encantado das princesas que povoam o Magic Kingdom, o Animal Kingdom também prova a excelência Disney em cada detalhe: na apoteose dos shows, que não perdem para os musicais da Broadway, nas opções para todas as idades e estilos, com confortáveis safaris e brinquedos radicais, e, de forma surpreendente, na caracterização de cada ambiente, transportando o visitante para a Ásia e a África, o futuro na Pandora, o passado entre dinossauros. Sem contar o universo que todos nós amamos!

 

Traduzindo em espetáculo algumas das melhores animações da Disney, o Animal Kingdom oferece shows do Nemo (na Dinoland USA), Rei Leão (na África), UP Altas Aventuras (na Ásia) e Vida de Inseto (na Discovery Island). A interação com a Minnie e o Mickey pode ser pré-agendada, no estúdio com ar-condicionado, e segue pelo parque, em musicais ao ar livre e sessões de fotografias com todos os personagens. À noite, o Discovery River que banha cada continente vira imensa tela de cinema, com as projeções do River of Light: We are one mimetizando as cores em comoção.

 

A meu ver, é bem aí que reside o maior diferencial da Disney. Enquanto os outros parques se esmeram em entreter, se tiver a marca Disney o padrão é comover! Impossível não se deixar envolver pela solidão do Nemo, o vínculo pai e filho, o compromisso do Leão com a selva onde ele reina. Nos shows do Animal Kingdom, a palavra espetáculo ganha perfeita tradução... Por mais difícil que seja ir embora, quando o corpo pede trégua a Disney dá um alento: pagando a diária do estacionamento, é possível voltar pro hotel, descansar, recuperar o fôlego e retornar mais tarde sem qualquer despesa extra.

 

Mantendo a tradição “selvagem”, o Rainforest Café, logo na entrada, pode ser usufruído como restaurante temático ou na vertente Safari Bar, com comidinhas e coquetéis que configuram ótima opção para o período noturno. Ícone do parque, a Árvore da Vida é esculpida em um baobá tão perfeito que nos remete às árvores cultivadas pelo Pequeno Príncipe no planeta idealizado por St. Exupery. Se ao longo do dia o destino é seu interior, com as aventuras de Vida de Inseto vivenciadas em 3D, basta o sol se pôr para o reino animal se impor. Dezenas de espécies, esculpidas com precisão no tronco do baobá, ganham cores durante a noite, nas projeções musicadas do Tree of Life Awakening.

 

 Tree of Live

 

A tecnologia também dá o tom da “despedida” no mundo encantado do parque Magic Kingdom. Ao contrário do dia, quando fadas, heróis e princesas interagem com o público em sessões de fotografias, performances surpresas e no desfile ansiosamente esperado, à noite a estrela é a Animação. Centenas de personagens da Disney – do Gênio da Lâmpada ao Corcunda de Notre Dame, da Moana destemida a Aurora adormecida, do Relâmpago McQueen ao cozinheiro Ratatouille –, se revezam nas projeções sobre o Castelo da Cinderela, sob o olhar encharcado da multidão emocionada.

 

No Verão, o espetáculo tem início às 21h15min, e duas horas antes a imensa área diante do Castelo já se transforma em piquenique gigante, com todos os sotaques e etnias compartilhando a mesma ansiedade, pelo show de encerramento. Os brasileiros dominam a plateia, ecoando um “coral de UAU” quando a fada Sininho, esta sim, em carne e osso, beleza e delicadeza, desliza céu afora (sustentada por um cabo camuflado entre luzes). Com os olhos feito cascata, imersos na gratidão por viver esta emoção, impossível não saber que agora vamos ser... happily ever after. Felizes hoje e para sempre.

 

Inaugurado em 1º de outubro de 1971, o Magic Kingdom completa nesta semana 48 anos a serviço da fantasia, convencendo crianças do mundo inteiro que princesas existem, heróis sempre vencem e nossos sonhos come true. Entre as alas do parque, MAIN STREET e LIBERTY SQUARE são um túnel no tempo, desvendando estilos, tradições e histórias dos Estados Unidos. TOMORROWLAND, ao contrário, nos catapulta ao futuro, com comédia dos Monstros e brinquedos inspirados no Buzz de Toy Story. Na FANTASYLAND, os anfitriões já são parte da nossa rotina: a sereia Ariel, o Gastón da Bela, Dumbo, Pinóquio e Peter Pan.

 

Assim como é possível agendar uma refeição na companhia dos personagens no The Crystal Palace, logo na entrada do parque, na Fantasyland as duas atrações exclusivas devem ser agendadas com antecedência: na Bibbidi Bobbidi Boutique, onde as meninas são vestidas e penteadas até se sentir legítimas princesas, e na Cinderella’s Royal Table, no restaurante com aura secular, instalado dentro do Castelo, onde todas as princesas perfeitamente caracterizadas vão de mesa em mesa interagindo com os visitantes. Quando nós fomos, com a Lara criança em trajes de Cinderela, ainda tivemos a sorte de pegar uma mesa na janela, com vista para os fogos que explodem no céu assim que o parque anuncia o fim de mais um dia.

 

A aventura continua na ADVENTURELAND, ciceroneados por Aladin e os Piratas do Caribe, e pela FRONTIERLAND, com dois brinquedos em alta velocidade, a Splash Mountain e a Big Thunder Mountain Railroad. Entre lojas, restaurantes, efeitos especiais, as Paradas dos personagens e as fachadas mais convincentes, impossível não se transportar para um mundo paralelo de magia e alegria, otimizado por meio do APP My Disney Experience, um diário de bordo a ser alimentado antes mesmo do embarque.

 

Considerando a possibilidade de um único ingresso dar acesso a dois parques no mesmo dia; de adquirir Fast pass com número restrito ou ilimitado de reservas para furar a fila; de ter outros privilégios contratando o VIP Tour; de se hospedar em um resort do grupo com transporte gratuito para os parques; de tomar café, almoçar ou jantar com os personagens preferidos; e de permanecer no Magic Kingdom mesmo após o fechamento, no espetáculo inspirado nos vilões de Os Descendentes, Vilains unite the night, nossa sugestão é contar com o suporte de uma agência de viagens, como a Menton Viagens, com atendimento personalizado que facilita nossas escolhas.

 

Não bastasse tudo o que vivemos por lá, contamos aqui e deixamos pra próxima, afinal nós vamos voltar, a Disney ainda reuniu o maior esquadrão de agentes de viagens, na Califórnia, para anunciar o que vem por aí. Entre as inovações prometidas em agosto de 2019, durante a D23 Expo, estão o novo cruzeiro da Disney Cruise Line, inspirado na Rapunzel, e o “cruzeiro pelas galáxias” simulado no hotel em formato de nave, Star Wars: Galactic Starcruiser, onde a hospedagem é restrita a dois dias de total imersão no espaço.

 

No Epcot, as novidades permeiam novo espaço dedicado a Mary Poppins, no pavilhão da Inglaterra, e à princesa havaiana Moana: Journey of Water. Por ali, aliás, só cresce a expectativa pela estreia do maior show já exibido pela Disney em seus parques, o HarmonioUS, prometido para o ano que vem. Também em 2020 deve estrear a nova atração da Disney California Adventure, inspirada nos Vingadores da Marvel, com direito à experiência ride-through do Homem-Aranha, com os visitantes ganhando superpoderes para lançar as próprias teias.

 

Tendo a #DádivaDaVida de provar a excelência Disney nos parques de Orlando, (sozinha, com o marido, depois com a filha pequena e agora com a filha adolescente), de cruzar o Caribe a bordo de um cruzeiro Disney Cruise Line e me esbaldar no mar turquesa bem longe dali, nas canoas e caiaques disponibilizados pelo Aulani Disney Resort, na paradisíaca praia de Ko Olina, no Havaí, só posso reconhecer e reverenciar a marca Disney como hors concours. Nenhuma aventura em parque temático se compara àquela onde mais do que ver, a gente vive um mundo de sonhos.

 

Por falar nisso, na próxima segunda, dando sequência à série sobre Férias em Família na Flórida, eu trago a cidade idealizada pelo próprio Walt Disney: Celebration.

 

Acompanhe a colunista Ana Lavratti também no Instagram @analavratti

 

Para ampliar as imagens e acessar o slideshow, clique nas fotos da Galeria.

 

 

Animal Kingdom
Pandora – The World of Avatar: Na’vi River Journey

Ana Lavratti

  • imagem de lavratti
    Ana Lavratti é Jornalista e Mestra pela UFSC com pesquisa sobre a Notícia em Meio Digital Online. Multiplataforma, acumula experiência em mídia impressa, eletrônica e assessoria de comunicação. Também é escritora, autora de 3 livros e 3 e-books, e atua como colunista social desde 2014. www.analavratti.com.br / social@analavratti.com.br Curta o Instagram @analavratti